Colin Firth: aclamado por papel de homossexual em "A Single Man"

quarta-feira, 9 de dezembro de 2009 16:16 BRST
 

Por Jill Serjeant

LOS ANGELES (Reuters) - Por mais de 20 anos Colin Firth interpretou o perfeito cavalheiro inglês. Mas o público nunca o viu tão imerso em um papel quanto em "A Single Man", estreia na direção do estilista Tom Ford.

Segundo os críticos, a interpretação de Firth, de 49 anos, é digna de um Oscar. O ator, cujos papéis no passado incluem o sedutor Marc Darcy em "O Diário de Bridget Jones" e o acanhado Jamie Bennet em "De Repente Amor", interpreta um professor inglês homossexual nos anos 1960 em luto pela morte de seu amor.

"A Single Man" já rendeu a Firth um prêmio de melhor ator no festival de cinema de Veneza. Para o ator, o papel de George, que pretende acabar com uma vida triste suicidando-se, foi "uma perturbação de riquezas" -- uma chance que, apesar dos 20 anos no show business, dificilmente aparece.

"Apesar do exterior contido desse homem, ele experimenta desespero, lascívia, frivolidade, raiva, medo, anseio, remorso, ternura -- a lista de emoções é extraordinária", disse o ator à Reuters.

"Não me lembro da última vez em que levei um filme nas costas. Ter a história de um homem confiada a mim é algo muito raro", disse.

Ford baseou seu filme no romance do mesmo nome de Christopher Isherwood, e disse ter escolhido Firth "por sua capacidade de telegrafar o que ele está pensando pelos olhos, sem quase mexer seu rosto e, certamente, sem dizer uma palavra".

Para o crítico Owen Gleiberman da Entertainment Weekly, a interpretação de Colin Firth deve chamar a atenção da Academia de Artes e Ciências de Hollywood, acrescentando que ele "é simplesmente bom demais para ser ignorado".

Firth nunca foi indicado para um prêmio de Hollywood. O ator concede parte do crédito para Fort, tanto como diretor quanto como roteirista, e para os colegas de elenco Julianne Moore, Matthew Goode e Nicholas Hoult.   Continuação...