December 10, 2009 / 6:05 PM / 8 years ago

ESTREIA-"Aconteceu em Woodstock" de Ang Lee chega às telas de SP

3 Min, DE LEITURA

<p>"Aconteceu em Woodstock" de Ang Lee (foto de arquivo) chega &agrave;s telas de S&atilde;o Paulo.Pichi Chuang</p>

SÃO PAULO (Reuters) - Depois de fazer seis filmes dramáticos em 13 anos -- incluindo "O Segredo de Brokeback Mountain" e "Desejo e Perigo" --, o diretor Ang Lee se lança agora em uma comédia ligeira com "Aconteceu em Woodstock". O filme chega aos cinemas de São Paulo na sexta-feira, um mês após ter estreado no Rio de Janeiro.

Adaptado do livro autobiográfico de Elliot Tiber, com roteiro de James Schamus, parceiro habitual do diretor, "Aconteceu em Woodstock" recupera a história e o espírito de Woodstock -- o festival de música de agosto de 1969 que atraiu cerca de 1,5 milhão de pessoas até as imediações de Bethel, no norte de Nova York, reacendendo o sonho de liberdade que provocara movimentos estudantis por todo o mundo um ano antes.

A história parte da experiência pessoal de Elliot (interpretado pelo comediante e roteirista Demetri Martin), cujos pais (Henry Goodman e Imelda Staunton), dois caipiras rudes, não conseguem atrair hóspedes ao seu hotelzinho na cidadezinha de White Lake, e estão à beira da bancarrota.

Bom filho, Elliot vem ajudar. O rapaz convida os organizadores de um grande festival de rock a levar o evento para sua região, onde os proprietários rurais estão ansiosos por encontrar atividades rentáveis.

Entre eles está Max Yasgur (Eugene Levy), que logo passará à História como o homem que alugou sua fazenda para o palco em que desfilaram The Who, Jimmy Hendrix, Joan Baez e a incrível sucessão de músicos de Woodstock.

A trama gira em torno dos bastidores da organização do festival, colocando em primeiro plano as experiências dramáticas ou confusas do próprio Elliot e da impressionante e numerosa fauna humana que se desloca para o lugarejo, cujo provincianismo será testado até o limite.

Como sempre, Ang Lee une o individual e o coletivo com muita verdade. Ele é bem-sucedido ao rir de leve sobre um acontecimento pop, mas nada inofensivo.

Assim, o filme sintoniza o espírito de uma época de tom libertário -- em termos de comportamento, sexo, vestuário, uso de drogas, religião (ou falta dela) e a busca de uma relação harmônica e pacífica com a natureza. Temas que atravessaram décadas e gerações e integram a pauta política até hoje.

(Por Neusa Barbosa, do Cineweb)

* As opiniões expressas são responsabilidade do Cineweb

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below