Teste de DNA pode solucionar mistério da morte de Caravaggio

sexta-feira, 11 de dezembro de 2009 18:32 BRST
 

Por Ella Ide

ROMA (Reuters Life!) - O mistério em torno da morte do mestre da pintura barroca Caravaggio pode ser desvendado em breve graças a testes de DNA -- contanto que o corpo certo seja encontrado.

A causa da morte do pintor em 1610 e o paradeiro de seu corpo nunca ficaram claros. Mas uma equipe de antropólogos italianos acredita que os restos mortais de Caravaggio podem estar entre dezenas de corpos enterrados em uma cripta na Toscana graças a recentes pistas históricas.

"Se tivermos a sorte de descobrirmos o crânio de Caravaggio, também seremos capazes de reconstruir sua face, como fizemos em 2007 com Dante Alighieri", disse à Reuters Silvano Vinceti, chefe do Comitê Nacional para o Patrimônio Cultural. As únicas imagens disponíveis do artista até agora são autorretratos.

Especialistas têm várias teorias sobre a morte de Caravaggio. As mais populares são de que o pintor foi assassinado por razões religiosas ou morreu de malária em uma praia deserta da Toscana.

No entanto, em 2001, um pesquisador italiano alegou ter encontrado a certidão de óbito do pintor, provando que ele morreu no hospital.

"Esse documento histórico mostra que Caravaggio não morreu sozinho na praia, mas depois de três dias no hospital, o que significa que o corpo foi enterrado no cemitério de San Sebastiano", disse Vinceti, referindo-se à cidade na Toscana perto de Grosseto.

Mas em 1956, corpos enterrados no pequeno cemitério foram transferidos para Porto Ercole, e especialistas esperam que os restos de Caravaggio estejam entre eles.

A equipe vai ter que examinar os ossos de entre 30 e 40 pessoas, selecionando os que pertencem a jovens que morreram no início do século 17.   Continuação...