Daniel Day-Lewis canta no musical "Nine", homenagem a Fellini

quinta-feira, 17 de dezembro de 2009 11:04 BRST
 

Por Christine Kearney

NOVA YORK (Reuters) - A ideia de o soturno e dramático Daniel Day-Lewis, duas vezes premiado com o Oscar, cantar e dançar no palco de um filme musical pareceu tão improvável a ele, num primeiro momento, quanto pode parecer para o público.

Mas o ator britânico, célebre por mergulhar profundamente em papéis intensos como o do magnata petrolífero Daniel Plainview em "Sangue Negro", acabou afastando seu receio em cantar no novo musical "Nine", homenagem ao influente diretor italiano Federico Fellini, que estreia nos cinemas norte-americanos na sexta-feira.

Cercado por um elenco estelar de atrizes, desde Sophia Loren a Penelope Cruz, Day-Lewis adota um sotaque italiano pesado para fazer o papel principal, do diretor de cinema Guido Contini, em "Nine", visto pela primeira vez como musical de teatro na Broadway em 1982.

Esta semana o filme recebeu cinco indicações ao Globo de Ouro, incluindo um para Day-Lewis como melhor ator em um musical ou comédia.

"Nine" é baseado no clássico autobiográfico de Fellini de 1963 "Fellini 8", que acompanha a luta do diretor para desbloquear sua criatividade, depois de fazer o que ele considerou serem oito filmes e meio. Fellini morreu em 1963.

Um dos filmes mais ansiosamente aguardados da temporada de fim de ano em Hollywood, "Nine" também tem as atrizes premiadas com o Oscar Nicole Kidman, Judi Dench e a francesa Marion Cotillard, ao lado de Kate Hudson e de Fergie, cantora do grupo Black Eyes Peas. Elas representam as musas do diretor atormentado e inspiram insights sobre sua vida e carreira.

Diferentemente das atrizes, Day-Lewis conseguiu evitar dançar muito no filme, mas disse que a maior parte do elenco tinha dúvidas quanto a sua habilidade em cantar.

"Com a exceção de Fergie, não somos cantores profissionais ou amadores, então acho que todos nos perguntamos se seríamos capazes de alcançar o padrão necessário", disse ele.   Continuação...