Papai Noel precisa entrar em forma, diz estudo de saúde pública

quinta-feira, 17 de dezembro de 2009 11:44 BRST
 

SYDNEY (Reuters Life!) - Papai Noel precisa perder peso, reduzir seu consumo de panetone e conhaque e trocar seu trenó puxado por renas por uma bicicleta para tornar-se um exemplo mais saudável para as crianças, disse um estudo de saúde pública australiano.

O médico Nathan Grills, da importante universidade australiana Monash, acredita que a imagem atual de Papai Noel promove a obesidade, a condução de veículos sob efeito de álcool e em alta velocidade e, de modo geral, um estilo de vida pouco saudável, e que seria melhor se ele fosse retratado sem a barriga grande que é sua marca registrada.

Sua pesquisa sobre Papai Noel, que o médico disse ter sido feita em grande medida a título de brincadeira, mas com a intenção de conscientizar o público sobre a saúde, foi publicado na edição de Natal do British Medical Journal sob o título "Papai Noel: Pária da Saúde Pública?"

"Uma figura que é tão conhecida em todo o mundo quanto a de Papai Noel tem o potencial de influenciar pessoas, especialmente crianças, e transmitir a mensagem de que tudo bem beber e ser obeso", disse Grills à Reuters.

"É um risco muito pequeno, mas que atinge uma faixa muito grande de pessoas."

Grills argumenta que Papai Noel só precisa afetar a saúde em 0,1 por cento para prejudicar milhões de vidas, já que a figura imaginária, de estilo paterno, é o único personagem fictício mais conhecido pelas crianças americanas que a de Ronald McDonald.

Grills também constatou que Papai Noel vende, e às vezes vende produtos prejudiciais.

"O aspecto publicitário de Papai Noel é muito grande. A ideia original de São Nicolau diz respeito à doação e à generosidade, e não a Papai Noel ser o executivo chefe de marketing da Coca-Cola", explicou o médico.

Em sua pesquisa, Grills diz que é possível que Papai Noel também promova a condução de veículos sob efeito de álcool, aludindo à tradição de se deixar um cálice de conhaque para desejar boa viagem a ele. "Com alguns bilhões de casas a visitar, Papai Noel em pouquíssimo tempo terá bebido além da conta", disse ele.

O estudo também afirma que Papai Noel tem potencial real de disseminar doenças infecto-contagiosas, já que, se ele tossir ou espirrar, todas as crianças que se sentam em seu colo podem acabar ganhando não apenas seu presente de Natal, mas também uma gripe.

Grills disse que são necessárias mais pesquisas para que Papai Noel seja pronunciado uma ameaça pública real, mas que, enquanto isso, ajudaria se ele comesse comida de rena e caminhasse, em vez de andar de trenó.