Nem Jackson evitou queda nas vendas de discos nos EUA em 2009

quinta-feira, 7 de janeiro de 2010 10:07 BRST
 

LOS ANGELES (Reuters) - As vendas de discos nos EUA caíram pela oitava vez em nove anos em 2009, e o ritmo de crescimento dos downloads de música também diminuiu, revertendo a tendência de anos recentes, segundo dados divulgados na quarta-feira.

A venda total de discos caiu 12,7 por cento, chegando a 373,9 milhões de unidades, no período de 52 semanas (364 dias) encerrado em 3 de janeiro, disse a empresa Nielsen SoundScan, citando dados do varejo. Michael Jackson foi o artista com mais vendas, e Taylor Swift teve o álbum mais vendido, à frente do de Susan Boyle.

O total de vendas já havia caído 14 por cento em 2008, e o nível atual é o mais baixo desde que a Nielsen SoundScan começou a publicar dados do varejo, em 1991. Desde o recorde de 785,1 milhões de unidades em 2000, as vendas despencaram 52 por cento, em grande parte devido à pirataria e à concorrência de outras formas de entretenimento, como os videogames.

Apesar da recessão, os consumidores dos EUA gastaram mais dinheiro em filmes e shows em 2009 em comparação ao ano anterior. Mas isso não se aplica ao mercado fonográfico, como mostram o fechamento das redes Virgin Megastore e Circuit City e a redução do espaço para os discos em estabelecimentos como as livrarias Borders Group.

Já a repentina morte de Michael Jackson, em junho, estimulou o mercado - seus discos venderam 8,3 milhões de unidades. Nem ele nem os dois artistas seguintes na lista dos mais vendidos, Taylor Swift e os Beatles, lançaram novos álbuns neste ano.

Swift ficou num distante segundo lugar, 4,6 milhões de cópias, a maioria do seu segundo álbum "Fearless", maior vendedor de 2009, que já havia sido o terceiro colocado em 2008. A recém-lançada obra completa remasterizada dos Beatles permitiu que a banda britânica, extinta em 1970, vendesse 3,3 milhões de cópias.

Downloads pagos em sites como iTunes, da Apple, vêm assumindo uma maior importância no setor, mas o imenso crescimento dos últimos anos perde fôlego. As vendas de faixas digitais subiram 8,3 por cento em 2009, chegando ao recorde de 1,16 bilhões. Mas isso ficou aquém dos saltos de 45 e 27 por cento em 2007 e 08, respectivamente.

As vendas digitais de álbuns inteiros subiram 16,1 por cento, chegando a 76,4 milhões de unidades, também um recorde. O crescimento havia sido de 53 por cento em 2007 e 32 por cento em 2008.

Depois de "Fearless", o álbum mais vendido de 2009 foi o de estreia da escocesa Susan Boyle, "I Dreamed a Dream", que emplacou 3,1 milhões de cópias em seis semanas desde o lançamento. A coletânea "Number Ones", de Jackson, lançada em 2003, ficou em terceiro lugar, com 2,4 milhões.

(Reportagem de Dean Goodman)