"Avatar" lidera bilheterias na América do Norte pela quarta vez

domingo, 10 de janeiro de 2010 16:30 BRST
 

LOS ANGELES (Reuters) - "Avatar" foi o campeão de bilheterias na América do Norte pelo quarto fim de semana consecutivo neste domingo, dias depois de ser lançado para o topo dos ranking mundiais para se tornar o segundo filme mais importante de todos os tempos.

O épico de ficção científica em 3-D dirigido por James Cameron rendeu 48,5 milhões de dólares nos Estados Unidos e Canadá durante o período de três dias que começou na sexta-feira, disse a distribuidora 20th Century Fox.

A arrecadação total já subiu para 429 milhões de dólares, fazendo do filme o sétimo maior de todos os tempos na América do Norte em valor absoluto, sem ajustar as receitas pela inflação. O último filme que conseguiu liderar as bilheterias por quatro fins de semana consecutivos foi "Batman, o Cavaleiro das Trevas", em 2008.

A Fox, uma divisão da News Corp., havia dito esperar que "Avatar" desafiasse a receita do "Cavaleiro das Trevas" (533 milhões de dólares) para alcançar a segunda colocação no livro de recordes da América do Norte. O filme que mais gerou receita na história foi Titanic, também dirigido por James Cameron, que rendeu 601 milhões de dólares.

Espectadores internacionais têm colaborado para o sucesso do filme. Até quarta-feira, eles haviam rendido 761 milhões de dólares, elevando a receita total mundial do filme para 1,14 bilhão de dólares.

"Avatar" ultrapassou o valor de 1,12 bilhão de dólares alcançado por "Senhor dos Anéis" e conquistou a segunda colocação mundial, atrás somente de Titanic, que rendeu 1,84 bilhão de dólares no mundo todo entre 1997 e 1998.

"Avatar" é a história de um ex-fuzileiro naval norte-americano paraplégico enviado da Terra para se infiltrar numa raça de alienígenas azuis de três metros de altura e persuadi-los a deixar uma mineradora da Terra explorar seus recursos naturais.

O filme foi o mais caro da história, com orçamento de ao menos 300 milhões de dólares na produção.

(Reportagem de Dean Goodman)