Amy Winehouse confessa agressão a gerente de teatro

quarta-feira, 20 de janeiro de 2010 10:56 BRST
 

LONDRES, 20 de janeiro, 10h01 (Reuters) - A cantora britânica Amy Winehouse admitiu ter agredido um gerente de teatro durante uma pantomima de Natal.

Na Corte de Magistrados Milton Keynes, a cantora de 26 anos, premiada com o Grammy, confessou-se culpada de agressão e perturbação da ordem pública, segundo a Press Association.

Winehouse atacou o gerente teatral Richard Pound, 27 anos, depois de perturbar uma apresentação de "Cinderella" no teatro Milton Keynes, na Inglaterra central, em 19 de dezembro. A cantora de "Back to Black" foi presa quatro dias depois.

De acordo com o advogado de acusação Julian Vickery, Winehouse tinha bebido antes de chegar e ergueu a voz durante a apresentação, levando um membro do público a pedir que se calasse.

Mais tarde, ela deixou seu lugar na plateia e pediu uma bebida a Pound, xingando-o quando ele recusou.

Quando ele pediu a Winehouse que deixasse o teatro, ela "ficou constrangida e mortificada e, sem premeditação, puxou o cabelo dele", disse Vickery.

Winehouse foi libertada sob condicional que durará dois anos e ordenada a pagar 85 libras (140 dólares) de custas do processo e 100 libras de indenização a Pound.

Ao anunciar a sentença, o juiz Peter Crabtree disse: "Isto pode ser mais difícil que uma multa, porque agora você será obrigada a comportar-se nos próximos dois anos."

A carreira musical de Amy Winehouse vem sendo deixada à sombra por sua vida pessoal conturbada, que fez dela uma favorita dos tablóides, e seus embates frequentes com a lei.

(Reportagem de Mike Collett-White)