January 20, 2010 / 4:25 PM / 8 years ago

Grande inundação do Sena pode transformar Paris em uma Veneza

4 Min, DE LEITURA

Por Sophie Taylor

PARIS (Reuters Life!) - O rio Sena transbordou de suas margens 100 anos atrás e cobriu os elegantes bulevares de Paris de água e lama, forçando milhares de parisienses a abandonar suas casas e deixando a cidade sem energia elétrica durante meses.

A mesma coisa pode acontecer novamente. Só que desta vez as consequências serão dez vezes pior, dizem especialistas.

"A enchente é inevitável", disse Louis Hubert, diretor para a região parisiense do Ministério da Ecologia e do Desenvolvimento Sustentável francês. "O que podemos afirmar é que é quase certo que ocorram novas enchentes, mas não sabemos quando".

A inundação de Paris em 1910 - ou seja, uma enchente que tem uma chance em 100 de acontecer a cada ano - afetou 200 mil pessoas naquele ano e custou 1,5 bilhão de euros (2,15 bilhões de dólares) em dinheiro de hoje, disse Hubert.

Uma enchente semelhante hoje afetaria cerca de 1 milhão de habitantes da capital francesa e custaria 15 bilhões de euros, disse ele. Além disso, outras 2 ou 3 milhões de pessoas provavelmente ficariam sem eletricidade por vários dias.

"Nos dois casos, há mais de dez vezes o número de pessoas afetadas, e os custos diretos são dez vezes maiores que os de 1910. Isso poderia levar à desorganização da região parisiense e exercer um efeito sobre a economia nacional", disse Hubert.

Para lembrar a enchente de 1910, a Galerie des Bibliotèques parisiense está expondo uma coleção de fotos, cartões postais e depoimentos de testemunhas.

Há fotos em tom sépia de homens bigodudos, de chapéu coco, sendo levados nas costas de outros homens com as calças puxadas para cima e com água pelos joelhos; do Champs de Mars totalmente submerso; de pessoas indo à catedral de Notre Dame de barco e de alimentos sendo entregues por escada a janelas de apartamentos de segundo andar.

Na maioria dos casos, os parisienses dão a impressão de que estavam encarando a catástrofe com humor, sorrindo para a câmera enquanto se equilibravam sobre estruturas improvisadas acima da água.

Desde 1910, Paris vem se esforçando para reforçar suas defesas, elevando a altura das pontes, aprofundando o leito do rio e fazendo obras hidráulicas. Mas, disse Hubert, a urbanização maior e a proliferação de postes de eletricidade e telefone significam que mais pessoas ficariam vulneráveis a uma enchente grande.

Os museus de Paris que correriam o risco de serem inundados, como o Louvre, o d'Orsay e o do Quai Branly poderão levar as obras de arte guardadas em seus subsolos para um local seguro em Cergy-Pontoise, uma cidade a noroeste da capital francesa.

"Temos um plano de contingência para uma possível enchente e o estamos aperfeiçoando", disse um integrante da equipe de comunicações do Louvre, acrescentando que o centro seguro deve ficar pronto em 1914. "Se alguma coisa acontecer, esperamos ser avisados a tempo pelo corpo de bombeiros".

Por enquanto, as fotos de 1910 expostas em Paris servem de aviso aos moradores sobre o que esperar.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below