ESTREIA-"À Moda da Casa" aborda homossexualidade sem preconceito

quinta-feira, 21 de janeiro de 2010 13:05 BRST
 

SÃO PAULO (Reuters) - A comédia espanhola "À Moda da Casa", já em cartaz em São Paulo e estreando no Rio nesta sexta-feira, levanta uma questão bem interessante: existem profissões que aceitam mais facilmente os homossexuais?

Se depender do que mostra o longa, a resposta é sim. O personagem central é Maxi (Javier Camara, de "Fale com Ela"), um chef de cozinha gay, dono de um restaurante que seus filhos herdam de um casamento que durou pouco, depois que sua ex-mulher morre.

Maxi não enfrenta nenhum problema com sua sexualidade, nem no trabalho, nem em casa. Por outro lado, quando começa a namorar Horacio (Benjamín Vicuña), um comentarista esportivo e ex-jogador de futebol, surge um impasse: eles não podem assumir publicamente o relacionamento.

"Isso iria acabar com a minha carreira na televisão", diz o esportista, que também garante conhecer diversos jogadores gays que escondem essa condição.

Se o filme, dirigido pelo estreante em cinema Nacho G. Villela, que também assina como corroteirista, não se aprofunda muito nessa questão, ao menos tem a coragem de colocar em cena o impasse que, embora resolvido com certa simplicidade, não deixa de ser relevante.

"À Moda da Casa" centra-se no personagem de Maxi, que precisa ser o pai que seus filhos nunca tiveram -- ele nunca os conheceu até sua ex-mulher chamá-lo no seu leito de morte (literalmente).

Enquanto tenta se aproximar dos filhos, lidar com a homofobia do mais velho e não perder o amor de Horácio, o chef também sonha em conquistar uma estrela do guia Michelin para o seu restaurante - o que certamente o tornaria mais conceituado e famoso.

A melhor amiga de Maxi é Alex (Lola Dueñas, de "Abraços Partidos"), hostess do seu restaurante e uma mulher-à-beira-de-um-ataque-de-nervos que precisa-porque-precisa de um namorado. Por conta dos diversos foras que leva, Alex vive chorando nos ombros de seu amigo, até se apaixonar por Horácio e achar que é correspondida.

Com uma temática dessas, "À Moda da Casa" poderia facilmente cair no escracho ou na baixaria. Felizmente, o bom senso e o bom gosto prevalecem. Há momentos engraçados e uma certa honestidade e dignidade ao tratar de questões complexas.

(Por Alysson Oliveira, do Cineweb)

* As opiniões expressas são responsabilidade do Cineweb