Historiador e ativista Howard Zinn morre aos 87 anos

quinta-feira, 28 de janeiro de 2010 16:55 BRST
 

BOSTON (Reuters) - O historiador e ativista Howard Zinn, cujo livro de 1980 "A People's History of the United States" (Uma história popular dos EUA) instigou a esquerda norte-americana em uma época conservadora, morreu aos 87 anos de idade.

Parentes disseram que Zinn, que por décadas foi um dos ícones dos movimentos pelos direitos civis e antiguerra dos Estados Unidos, morreu de ataque cardíaco na quarta-feira, durante viagem para a Califórnia.

Ele era professor emérito no departamento de Ciência Política da Universidade de Boston e ensinou ali de 1964 a 1988.

"Ele tinha um senso profundo de justiça e equidade para com os oprimidos. Mas sempre manteve seu senso de humor. Era um guerreiro feliz", disse Caryl Rivers, professor de Jornalismo na Universidade de Boston.

"A People's History of the United States" descreve o desenvolvimento do país através das vozes das mulheres, de minorias e dos operários, contando a história norte-americana como uma série de episódios nos quais o Estado e os grandes negócios conspiraram para derrotar o socialismo.

A esquerda norte-americana celebrou o livro em uma época em que o conservadorismo, como personificado pelo presidente Ronald Reagan, estava aumentando. Mais de um milhão de cópias do livro foram vendidas.

Zinn deixou dois filhos e cinco netos.

(Reportagem de Ros Krasny)