January 29, 2010 / 5:36 PM / 7 years ago

Legado de autor da trilogia "Millennium" sofre ataque na Suécia

3 Min, DE LEITURA

Por Nicholas Vinocur

ESTOCOLMO (Reuters Life!) - Colegas de Stieg Larsson provocaram furor na Suécia ao questionar seu talento como escritor e ao duvidar que ele tivesse escrito sozinho seus livros.

Larsson ganhou status mítico desde sua morte súbita há seis anos. Sua trilogia "Millennium", uma fábula sombria que expõe a elite industrial da Suécia, virou fenômeno mundial e vendeu mais de 12 milhões de cópias.

Recentemente, no entanto, aumentaram as críticas sobre a obra de Larsson, sobre seu talento como escritor e alegações de que sua parceira por 32 anos foi quem realmente escreveu a maior parte de "Millennium".

"Eu não estou aqui para difamar Larsson -- tenho enorme respeito por ele", disse à Reuters Anders Hellberg, ex-colega de Larsson no Swedish TT.

"Mas uma pessoa não pode ser boa em tudo, e escrever não era o seu ponto forte. Ele simplesmente não escrevia bem".

O debate sobre o legado de Larsson virou manchete e arrebatou o mundo literário da Suécia em janeiro, depois da publicação de um perfil crítico por Kurdo Baksi, que trabalhou com o escritor na extinta revista Expo.

O livro de Baksi, no qual ele critica os métodos de reportagem de Larsson -- dizendo que algumas vezes ele usava a si mesmo como fonte dos artigos -- suscitou uma rápida repreensão do chefe do escritor no TT, assim como acusações de "assassinato de caráter" da parceira de Larsson, Eva Gabrielsson.

Eva Gedin, a editora de Larsson na Norstedt's, não respondeu aos pedidos para entrevista. Em um artigo publicado em um jornal no início deste mês, ela descreveu as questões sobre a autoria da trilogia como "especulação sem sentido".

Conforme cresce o debate e as opiniões se dividem na Suécia, muitos críticos saíram em defesa de Larsson. Alguns acusaram Baksi e Hellberg de tentar chamar a atenção às custas do escritor morto. A mística de Larsson, dizem, fez dele uma presa fácil.

Mas Eva Gabrielsson também fez pouco para aquietar a especulação sobre o seu papel na autoria da trilogia, que consiste dos livros "Os Homens que Não Amavam as Mulheres", "A Menina que Brincava com Fogo" e "A Rainha do Castelo de Ar".

Ao mesmo tempo em que Eva negou quaisquer críticas sobre o caráter profissional de Larsson, ela nunca se esforçou para negar ou esclarecer se contribuiu para o trabalho final.

O intenso escrutínio sobre como "Millennium" foi escrito é em parte explicado pelo fato de que, quando Larsson morreu aos 50 anos em 2004, não deixou um testamento. Seu espólio está compartilhado entre seu pai e irmão, enquanto Eva foi deixada sem nada.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below