Grammy tem sua maior audiência nos EUA desde 2004

segunda-feira, 1 de fevereiro de 2010 17:48 BRST
 

Por Jill Serjeant

LOS ANGELES (Reuters) - Uma escalação de astros popular e atraente garantiu uma audiência de 25,8 milhões de pessoas nos Estados Unidos à premiação do Grammy - a maior em seis anos, segundo dados preliminares divulgados na segunda-feira.

O espetáculo de 3,5 horas, com nomes como Beyoncé, Taylor Swift e Lady Gaga, deu no domingo à CBS um aumento de 35 por cento em relação aos 19 milhões de espectadores do Grammy no ano passado. Desde 2004 o programa não obtinha um resultado tão bom para a rede.

A grande vencedora foi Beyoncé, com seis prêmios, embora Taylor Swift, de apenas 20 anos, tenha chegado perto, com quatro - tornando-se ainda a artista mais jovem a conquistar o cobiçado troféu de álbum do ano.

Numa transmissão televisiva com mais números musicais do que entregas de prêmios propriamente ditos, houve espaço para a exótica novata Lady Gaga e para o veterano Elton John. Prince Michael, 12 anos, e Paris, 11, fizeram uma rara aparição pública para receber o prêmio póstumo pelo conjunto da obra para o pai, Michael Jackson, que morreu em junho.

A expressiva audiência de TV trouxe uma rara alegria para o combalido setor fonográfico global, que vem sendo derrotado pelos downloads legais e ilegais de música e pela concorrência com outras formas de entretenimento, como os videogames e as redes sociais.

Jon Pareles, do jornal The New York Times, disse que o Grammy "deu sorte" neste ano, graças a vários indicados pop que lotaram ginásios de todo o país no ano passado.

"Os Grammys encontraram o equilíbrio perfeito entre show e prêmio, o que quer dizer que os prêmios são estritamente uma atração paralela. Um setor fonográfico desesperado por vendas quer expor o máximo possível de itens, e a maioria dos artistas foi apresentada junto com os títulos das músicas, caso alguém quisesse baixá-las imediatamente", escreveu Pareles.

 
<p>Beyonc&eacute; se apresenta na 52a premia&ccedil;&atilde;o dos Grammys em Los Angeles. A escala&ccedil;&atilde;o de astros populares e atraentes garantiu uma audi&ecirc;ncia de 25,8 milh&otilde;es de pessoas nos Estados Unidos &agrave; premia&ccedil;&atilde;o do Grammy - a maior em seis anos. REUTERS/Mike Blake 31/01/2010</p>