Médico de Jackson não pretende se render, diz advogado

terça-feira, 2 de fevereiro de 2010 20:04 BRST
 

Por Dan Whitcomb

LOS ANGELES (Reuters) - O cardiologista Conrad Murray, suspeito de ter administrado a overdose de medicamentos que matou o cantor Michael Jackson, em junho, está em Los Angeles para reuniões com seus advogados, mas não recebeu ordens para se entregar às autoridades nem para comparecer a qualquer tribunal, disse seu advogado na terça-feira.

Há meses circulam rumores de que Murray será indiciado, já que legistas qualificaram a morte de Jackson como homicídio provocado pelo uso excessivo dos medicamentos propofol e Lorazepam.

O médico, que tem consultórios em Houston e Las Vegas, havia sido contratado para cuidar de Jackson enquanto o cantor preparava uma temporada de shows em Londres que marcaria a retomada da sua carreira.

O advogado Ed Chernoff confirmou a presença de Murray em Los Angeles "para encontrar seus advogados e visitar sua família", mas disse que, ao contrário de relatos da imprensa, não há nenhuma audiência judicial marcada para esta semana.

A Promotoria de Los Angeles não quis comentar o assunto.

 
<p>O cardiologista Conrad Murray, suspeito de ter administrado a overdose de medicamentos que matou o cantor Michael Jackson, em junho, est&aacute; em Los Angeles para reuni&otilde;es com seus advogados, mas n&atilde;o recebeu ordens para se entregar &agrave;s autoridades nem para comparecer a qualquer tribunal. (Foto Arquivo Reuters) REUTERS/Richard Carson 23/11/2009</p>