Ausente, Polanski domina festival de Berlim

terça-feira, 9 de fevereiro de 2010 11:07 BRST
 

BERLIM (Reuters) - O fato de estar sob prisão domiciliar em um chalé suíço não impede o cineasta franco-polonês Roman Polanski de dominar esta edição do festival de Berlim, onde será lançado seu novo filme, "The Ghost Writer", um dos 20 que participam da competição oficial do evento, entre 11 e 21 de fevereiro.

O interesse pelo diretor de 76 anos cresceu consideravelmente desde setembro, quando ele foi preso na Suíça, para ser submetido a um processo de extradição para os EUA, onde será sentenciado por ter mantido relações sexuais com uma menina de 13 anos em 1977.

Polanski, premiado por obras como "Chinatown" e "O Bebê de Rosemary", não deve aparecer na sexta-feira no tapete vermelho da estreia do seu filme, nem enviará qualquer mensagem por vídeo, segundo a organização.

Mesmo assim, "The Ghost Writer" promete ser o filme mais comentado entre centenas de títulos das mostras competitivas e não-competitivas na 60a edição do festival de Berlim.

Polanski teria concluído na prisão a montagem do filme, baseado em um romance de Robert Harris. Pierce Brosman vive um primeiro-ministro britânico fictício, mas aparentemente calcado em Tony Blair.

Ewan McGregor é o "ghost writer" (escritor anônimo) do título, encarregado de redigir as memórias do ex-premiê, mas que tropeça em uma conspiração global.

A notoriedade de Polanski e o caráter político do filme devem ampliar o prestígio do festival de Berlim, que nos últimos anos luta para manter sua relevância diante de eventos como o de Cannes e Toronto.

Outro trunfo da organização será "Ilha do Medo", drama de Martin Scorsese ambientado na Guerra Fria, exibido fora de competição.

Em "Ilha do Medo", baseado em um romance de Dennis Lehane, Leonardo di Caprio interpreta um oficial de Justiça dos EUA encarregado de investigar a desaparição de um homicida de um hospital psiquiátrico de segurança máxima.   Continuação...

 
<p>Foto de arquivo do cineasta Roman Polanski durante coletiva de imprensa em Oberhausen, setembro de 2008.REUTERS/Ina Fassbender</p>