Fotógrafo da Reuters diz que renasceu ao ser libertado no Iraque

quarta-feira, 10 de fevereiro de 2010 10:32 BRST
 

BAGDÁ (Reuters) - Militares dos EUA libertaram na quarta-feira um fotógrafo da Reuters que passou quase um ano e meio preso sem acusação.

O iraquiano Ibrahim Jassam Mohammed, que trabalhava para a Reuters como fotógrafo e cinegrafista freelance, foi detido durante uma batida de forças iraquianas e norte-americanas na sua casa, na localidade de Mahmudiya, ao sul de Bagdá, em setembro de 2008. As forças militares dos EUA nunca explicaram claramente por que o prenderam.

"Como posso descrever meus sentimentos? É como nascer de novo", disse Jassam à Reuters por telefone, enquanto era recebido emotivamente por sua família.

Vários jornalistas iraquianos a serviços de veículos estrangeiros já foram detidos pelos militares dos EUA, às vezes durante anos, desde o início da ocupação norte-americana, em 2003. Nenhum desses profissionais recebeu acusação formal, o que gerou críticas de entidades de defesa da imprensa.

"Estou muito satisfeito de que seu longo encarceramento sem acusação tenha finalmente acabado", disse o editor-chefe da Reuters, David Schlesinger. "Gostaria que o processo de libertar um homem que não tinha acusações específicas contra si fosse mais rápido."

Os militares dos EUA declararam que Jassam era uma "ameaça à segurança", mas não deram qualquer outra explicação sobre sua prisão, nem responderam de imediato a emails pedindo comentários sobre a libertação dele.

No ano passado, militares afirmaram que as provas contra Jassam eram sigilosas, mas diziam respeito a "atividades com insurgentes," termo que no Iraque geralmente se refere a grupos sunitas, como a Al Qaeda. Jassam é xiita.

Sob um acordo firmado no ano passado entre EUA e Iraque, os militares norte-americanos já libertaram milhares de iraquianos que haviam sido detidos, mas ainda restam quase 6.000 presos, que eventualmente terão de ser entregues às autoridades locais. Alguns poderão ser indiciados e julgados por tribunais iraquianos; outros serão soltos.

A Corte Criminal Central do Iraque decidiu no ano passado que não cabia nenhum processo contra Jassam.

Um mês antes de prenderem Jassam, forças dos EUA detiveram o cinegrafista da Reuters Ali Mashhadani e o mantiveram preso por três semanas sem acusação. Foi a terceira detenção de Mashhaddani, que passara cinco meses na cadeia em 2005.

(Reportagem de Suadad al-Salhy)

 
<p>Foto arquivo atualizado mostra o fot&oacute;grafo Ibrahim Jassam Mohammed, freelancer para a ag&ecirc;ncia Reuters em Bagd&aacute;. O iraquiano foi libertado depois de passar quase um ano e meio preso sem acusa&ccedil;&atilde;o por militares dos EUA. REUTERS/Foto Arquivo 30/11/2008</p>