Samba da Mocidade empolga Sapucaí na 2o noite de desfiles

segunda-feira, 15 de fevereiro de 2010 23:14 BRST
 

Por Hugo Bachega

RIO DE JANEIRO (Reuters) - Um paraíso multicolorido tomou a Marquês de Sapucaí com a Mocidade Independente de Padre Miguel cantando os mistérios do Éden e os refúgios criados pelo homem, levantando as arquibancadas ao abrir a última noite de desfiles do Grupo Especial do Carnaval do Rio de Janeiro, nesta segunda-feira.

O enredo do carnavalesco Cid Carvalho, "Do paraíso de Deus ao paraíso da loucura, cada um sabe o que procura", empolgou no começo graças ao samba animado cantado em coro pelo público, mas não foi capaz de mantar o ritmo até o final.

Um dos destaques do desfile foi a presença da cantora Elza Soares, 72 anos, à frente da bateria como madrinha. Caminhando com dificuldades após uma torção no tornozelo, Elza desfilou empurrada em um carrinho à frente dos ritmistas em seu retorno à Sapucaí.

"Eles pediram muito que eu viesse... Minha escola é a Mocidade", disse a cantora a jornalistas antes do desfile. "Eu chorei muito no ano passado. Este ano quero chorar de alegria".

O carnavalesco da escola se emocionou após o desfile da agremiação de Padre Miguel e elogiou a participação de Elza.

"A Elza é a Mocidade, ela faz parte da comunidade de Padre Miguel e aqui está em casa", disse Carvalho. "Para nós é um orgulho ter a Elza abrilhantando o desfile".

A expectativa da Mocidade é apagar o penúltimo lugar do último ano e recuperar um título que conquistou pela última vez em 1996. Para a cantora, a agremiação conseguirá ficar entre as seis primeiras colocadas que desfilam no sábado das campeãs.

"No sábado eu estou de volta", disse Elza, que deixou a Sapucaí caminhando aparada por integrantes da escola.   Continuação...

 
<p>Integrantes da Mocidade, escola de samba que abriu a 2a noite de desfiles na Marqu&ecirc;s de Sapuca&iacute;. 15/02/2010 REUTERS/Sergio Moraes</p>