Segredo chega ao fim: Tijuca é campeã do Carnaval do Rio

quarta-feira, 17 de fevereiro de 2010 17:48 BRST
 

RIO DE JANEIRO (Reuters) - A mágica da comissão de frente e os mistérios da humanidade levados pela Unidos da Tijuca à Marquês de Sapucaí deram à escola seu segundo título do Carnaval carioca, encerrando um jejum de mais de 70 anos.

A agremiação do morro do Borel, que conquistou o outro título de sua história em 1936, recebeu 299,9 de um total de 300 pontos, desbancando a vice-campeã Grande Rio por meio ponto.

Beija-Flor (3o lugar), Vila Isabel (4o) e o campeão de 2009 Salgueiro (5o) são as outras escolas que voltarão para o desfile das campeãs, no sábado, ao lado da campeã do grupo de acesso São Clemente.

"Foram várias tentativas e chegou a hora", afirmou o carnavalesco Paulo Barros, vice-campeão em 2004 e 2005 pela mesma escola, após saber do resultado. "A diferença é acreditar, a Tijuca esse ano acreditou no trabalho."

O enredo "É Segredo!" foi aclamado pelo público assim que apresentou seu primeiro truque na avenida, um troca-troca de roupa das bailarinas da comissão de frente como num passe de mágica.

A sucessão de mistérios viajou também por super-heróis representados por Batmans em esquis e Homens-Aranha escalando uma imensa rampa e uma bateria de mafiosos, apresentada pela rainha Adriane Galisteu, grávida de quase 4 meses.

Barros ficou conhecido por suas criações inovadoras, como o carro do "DNA" de 2004. A ousadia nas apresentações, no entanto, ainda não tinham resultado em nenhum título.

Do grupo de acesso, a São Clemente foi a campeã e vai desfilar com as principais escolas no ano que vem. A agremiação, fundada no bairro de Botafogo, desfilou com um enredo sobre o programa "Choque de Ordem" da Prefeitura do Rio, cujo objetivo é combater a desordem na cidade.

A escola rebaixada do Grupo Especial foi a Viradouro, que desfilou um enredo sobre o México. A agremiação foi alvo de uma polêmica antes do Carnaval devido à escolha de uma menina de 7 anos para ocupar o posto de rainha de bateria, tradicionalmente destinado a musas.

Júlia Lira, filha do presidente da agremiação, recebeu autorização do Juízado da Infância e Juventude para desfilar, mas foi às lágrimas antes de entrar na passarela devido ao grande assédio da imprensa.

(Por Pedro Fonseca)

 
<p>Carreo-aleg&oacute;rico da Unidos da Tijuca, escola campe&atilde; do Carnaval do Rio de Janeiro de 2010. 17/02/2010 REUTERS/Ricardo Moraes</p>