Sargento processa produtores de "Guerra ao Terror"

quarta-feira, 3 de março de 2010 08:57 BRT
 

LOS ANGELES (Reuters) - Um sargento do Exército dos EUA abriu na terça-feira um processo contra os produtores de "Guerra ao Terror", alegando que o protagonista do filme, indicado a vários Oscars, foi inspirado nele.

Jeffrey S. Sarver acredita que o roteirista Mark Boal baseou "virtualmente todas as situações" da obra em fatos que o envolvem, e alega ter cunhado o termo que dá nome ao filme em inglês, "the hurt locker" (algo como "o armário da dor"), segundo nota do advogado Geoffrey Fieger, de Southland, Michigan, que representa o militar.

Uma entrevista coletiva foi convocada para quarta-feira no escritório de Fieger, quando haverá mais detalhes sobre a ação que os advogados chamam de "multimilionária".

A distribuidora do filme, a Summit Entertainment, divulgou nota na terça-feira reiterando que se trata de um "relato fictício" sobre soldados na guerra do Iraque.

"Não temos dúvida de que o sargento Sarver serviu ao seu país com honra e compromisso, arriscando sua vida por um bem maior, mas distribuímos o filme baseado em um roteiro ficcional escrito por Mark Boal", disse a Summit.

Como jornalista, Boal acompanhou no Iraque um esquadrão que desmontava bombas, e escreveu um conto sobre eles para a revista Playboy. Ao transformar o conto em roteiro, focou em um soldado específico, Will James.

Sarver afirma que Boal acompanhava a sua unidade e que ele é o verdadeiro James. Diz que o apelido do protagonista no filme, "Blaster One" ("destruidor 1") era o seu nome-código no Iraque.

O filme maravilhou a crítica e recebeu nove indicações para o Oscar. É um dos favoritos a receber o prêmio de melhor filme na cerimônia do dia 7.

Este é o segundo problema recente para "Guerra ao Terror." Na terça-feira, dia em que a votação do Oscar terminou, os organizadores anunciaram que o produtor Nicolas Chartier será proibido de assistir à cerimônia, como punição por ter enviado um email a membros da Academia de Artes e Ciências Cinematográficas pedindo votos para o filme.

 
<p>O ator Jeremy Renner em cena do filme "Guerra ao Terror", nesta foto de divulga&ccedil;&atilde;o sem data. Um sargento do Ex&eacute;rcito dos EUA abriu na ter&ccedil;a-feira, 2 de mar&ccedil;o de 2010, um processo contra os produtores do filme, alegando que o protagonista do filme, indicado a v&aacute;rios Oscars, foi inspirado nele. REUTERS/Jonathan Olley/Summit Entertainment/Divulga&ccedil;&atilde;o</p>