Lugar da mulher é em casa? 1 em cada 4 dizem que sim

domingo, 7 de março de 2010 17:32 BRT
 

NOVA YORK, 7 de março (Reuters) -- Há mulheres comandando governos e grandes empresas e elas representam metade da força de trabalho mundial. Ainda assim, uma pesquisa em âmbito mundial mostrou que uma em cada quatro pessoas, a maioria jovens, acha que o lugar da mulher é em casa.

A pesquisa que falou com 24 mil adultos em 23 países foi conduzida pela Reuters/Ipsos e anunciada às vésperas do Dia Internacional da Mulher. Ela indica que gente da Índia (54 porcento), Turquia (52 porcento), Japão (48 porcento), China, Rússia, Hungria (34 porcento) e Coréia do Sul (33 porcento) tendem a achar que as mulheres não deveriam trabalhar.

E, talvez a maior surpresa, pessoas com idade entre 18 e 34 anos são os que mais pensam isso e não os mais velhos, uma geração mais conservadora.

Contudo, a grande maioria, ou 74 porcento, acham que o lugar da mulher certamente não é em casa.

"No século que passou, as mulheres coletivamente fizeram grandes avanços em termos de participação na sociedade - da política ao trabalho, aos esportes à mídia e à exploração intelectual - mas ainda há grandes barreiras a várias, disse John Wright, diretor da empresa de pesquisa Ipsos.

"Esta pesquisa tem uma expressão fundamental abraçada por uma grande maioria de que as mulheres, individualmente ou não, devem ter a capacidade de escolher fazer o que elas acham que pode dar a maior contribuição," disse ele.