"Alice" de Tim Burton domina bilheterias do Reino Unido

terça-feira, 9 de março de 2010 11:51 BRT
 

LONDRES (Reuters Life!) - A versão em 3D da Disney de "Alice no País das Maravilhas" dominou as bilheterias de cinema britânicas no fim de semana, com arrecadação impressionante de 10,5 milhões de libras (15,74 milhões de dólares), anunciou a Screen International na terça-feira.

O filme de Tim Burton, com Johnny Depp no papel do Chapeleiro Maluco, Helena Bonham Carter como a Rainha Vermelha e Matt Lucas como Tweedledum e Tweedledee, superou em 26 por cento o recorde de estreias de filmes em 3D no Reino Unido, que era de "Avatar".

Também marcou um recorde britânico para filmes lançados em março, tradicionalmente um período de calmaria em matéria de grandes lançamentos.

"Avatar", de James Cameron, caiu para o segundo lugar, após dez semanas na liderança, e "The Crazies", um remake de um filme de terror pouco conhecido dos anos 1970 ("O Exército do Extermínio"), se manteve no terceiro lugar.

Mark Wahlberg e Rachel Weisz no thriller "Um Olhar do Paraíso" caíram do segundo para o quarto lugar, e "A Princesa e o Sapo", da Disney, caiu uma posição, para a quinta.

O trabalho mais recente de John Travolta, "Dupla Implacável", subiu duas posições, para a sexta, logo à frente de "Percy Jackson e o Ladrão de Raios", uma história envolvendo um colégio moderno e deuses da antiguidade grega, que caiu duas posições, para a sétima.

O oitavo lugar foi da comédia romântica "Leap Year", com Amy Adams no papel de uma mulher de Boston que viaja à Irlanda para pedir seu novo namorado em casamento.

"Idas e Vindas do Amor" caiu três posições, para a nona, e "Direito de Amar" caiu uma posição, para a décima.

 
<p>Diretor Tim Burton e sua esposa Helen Bonham Carter chegam &agrave; estreia de "Alice no Pa&iacute;s das Maravilhas" em Londres. A vers&atilde;o em 3D da Disney do filme e dominou as bilheterias de cinema brit&acirc;nicas no fim de semana, com arrecada&ccedil;&atilde;o impressionante de 10,5 milh&otilde;es de libras. 25/02/2010 REUTERS/Luke MacGregor</p>