Sequência de "O Fantasma da Ópera" é apenas "sombra do original"

quarta-feira, 10 de março de 2010 11:49 BRT
 

Por Mike Collett-White e Nickie Omer

LONDRES (Reuters) - As comparações com o original foram inevitáveis quando Andrew Lloyd Webber resolveu escrever uma sequência de seu musical recordista "O Fantasma da Ópera."

Depois da première mundial do musical, na noite de terça-feira no teatro Adelphi, em Londres, o consenso entre a crítica especializada foi que "Love Never Dies" não passa de uma sombra do espetáculo visto por mais de 100 milhões de pessoas em todo o mundo desde 1986.

O novo musical leva adiante a história do Fantasma, que deixou seu esconderijo no Teatro de Ópera de Paris e, dez anos mais tarde, assombra os parques de diversões de Coney Island, em Nova York.

Nem todas as resenhas foram negativas, mas vários críticos destacados foram impiedosos ao descrever a sequência, entre eles Ben Brantley, do New York Times.

Ele não foi o único a considerar a trama da sequência confusa e implausível.

O crédito pelo libreto é atribuído a quatro pessoas: o próprio Lloyd Webber, o escritor teatral Glenn Slater, o romancista Frederick Forsyth e o comediante Ben Elton.

"Se você não conhece o primeiro 'Fantasma', ficará muito confuso; se você o conhece, ficará muito confuso também," escreveu Brantley.

Quentin Letts, do Daily Mail, não foi tão negativo em relação a "Love Never Dies," mas concluiu:   Continuação...