Parente do criador de "Drácula" quer monumento a Bram Stoker

quarta-feira, 24 de março de 2010 15:59 BRT
 

DUBLIN (Reuters Life!) - O romance gótico vitoriano "Drácula" está muito mais ligado às florestas da Transilvânia que às praças georgianas de Dublin, mas o sobrinho-bisneto de seu autor, irlandês de nascimento, vê isso como uma omissão que deveria ser corrigida.

Para o centenário da morte de Bram Stoker, em 2012, Dacre Stoker começou a trabalhar para levantar fundos para erigir um monumento em memória de seu antepassado, para juntar-se às estátuas e placas que lembram muitos outros escritores famosos de Dublin, como James Joyce e Samuel Beckett.

"É uma omissão", disse Dacre Stoker, que vive na Carolina do Sul (EUA), falando à Reuters pelo telefone. "Não há nenhum monumento permanente a Bram Stoker em sua cidade natal."

Bram Stoker nasceu em 1847 em Dublin e viveu na cidade até mudar-se para Londres, aos 31 anos.

Ele estudou no Trinity College, trabalhou como funcionário governamental no Castelo de Dublin e como crítico de teatro, sem ser pago, para jornais de Dublin.

De suas várias obras de ficção, de longe a mais conhecida é "Drácula", publicada em 1897, reimpressa constantemente desde então e transposta para o cinema em vários filmes.

Dacre Stoker, cujo bisavô foi o irmão mais jovem de Bram Stoker, acredita que a inspiração para a história do vampiro morto-vivo, sugador de sangue, criado por seu avô deve ter vindo de sua infância em Dublin, quando sua mãe lhe contava histórias do folclore irlandês.

Especula-se também que Bram Stoker teria sido submetido a sangria quando criança, época na qual sofreu de uma doença misteriosa.

Apesar da força da lenda do Drácula, Dacre Stoker quer que o monumento a Bram Stoker seja uma estátua do autor, e não de seu personagem fictício.   Continuação...