Cantora Badu cria polêmica nua em vídeo no local da morte de JFK

terça-feira, 30 de março de 2010 17:36 BRT
 

LOS ANGELES (Reuters) - A cantora soul americana Erykah Badu provocou comoção com um vídeo musical no qual ela tira toda a roupa em público no local do assassinato do presidente John F. Kennedy e cai ao chão, como se tivesse levado um tiro.

Badu, 39 anos, lançou o vídeo musical "Window Seat" como parte da divulgação de seu quinto álbum gravado em estúdio, "New Amerykah Part Two (Return of the Ankh)", lançado na terça-feira.

A artista nascida em Dallas fica nua na praça Dealey, no centro da cidade, e cai ao chão, com um espasmo, ao som de um tiro de fuzil, que foi incluído posteriormente no vídeo de 5,5 minutos de duração.

Apelidada de "Rainha do Neo-Soul" nos anos 1990, Badu, que também se inspira em influências do jazz e hip-hop, disse que a canção diz respeito a "libertar-se de camadas e camadas de pele ou demônios".

Ela disse ao Dallas Morning News, em entrevista, que escolheu a famosa "elevação gramada" da praça Dealey porque "era o lugar mais monumental que pude imaginar em Dallas".

John Kennedy levou um tiro na cabeça em 1963 quando passava de carro pela praça Dealey, e seu assassinato provocou comoção nos EUA e no mundo. O local de sua morte é amplamente visto como um lugar sagrado.

Badu disse que o vídeo foi uma tentativa de despertar interesse por um termo dos anos 1950, "groupthink" (pensamento de grupo), que indica que uma pessoa tem medo de expressar-se pelo temor de sofrer rejeição por parte do público maior.

"Quando caio ao chão no vídeo, a palavra 'groupthink' derrama para fora de minha cabeça, porque eu fui assassinada pelo 'groupthink'", disse ela.

John Crawford, presidente do grupo sem fins lucrativos Downtown Dallas, disse ao Dallas Morning News que o vídeo "é de mau gosto e evidencia mau julgamento."   Continuação...

 
<p>Cantora soul americana Erykah Badu se apresenta no 42o festival de Jazz em Montreux. Badu provocou como&ccedil;&atilde;o com um v&iacute;deo musical no qual ela tira toda a roupa em p&uacute;blico no local do assassinato do presidente John F. Kennedy e cai ao ch&atilde;o, como se tivesse levado um tiro. 04/06/2010 REUTERS/Valentin Flauraud</p>