Promotores pedem que novo pedido de Polanski seja rejeitado

quarta-feira, 31 de março de 2010 16:52 BRT
 

LOS ANGELES (Reuters) - Promotores recomendaram a um tribunal de apelações da Califórnia que rejeite o pedido formulado pelo cineasta Roman Polanski de ser sentenciado sem retornar aos Estados Unidos, no passo mais recente da batalha legal que se arrasta há décadas em torno do crime sexual cometido por Polanski contra uma menina de 13 anos.

Promotores de Los Angeles criticaram fortemente na terça-feira os advogados de defesa do cineasta premiado com o Oscar, que pediram ao tribunal de apelações que o sentencie enquanto ele cumpre prisão domiciliar na Suíça.

No recurso apresentado em 18 de março, os advogados de defesa de Polanski repetiram alegações de erro de conduta por parte de um ex-juiz do caso, hoje falecido, e disseram, além disso, que os promotores tiveram conhecimento do problema por mais de 30 anos e o ocultaram da defesa.

Em sua resposta, na terça-feira, os promotores fizeram pouco caso desses argumentos e disseram ter trazido a público o que sabiam.

"A possibilidade de vermos um réu sentado em um chalé suíço enquanto faz pedidos ao sistema judiciário prejudica a integridade do sistema judiciário tanto quanto as revelações de acusações de erros de conduta cometidos 30 anos atrás por um jurista falecido há muito tempo", escreveram os promotores.

Diretor de "Chinatown" e "O Pianista", Polanski se declarou culpado da acusação de sexo ilegal com uma menor de idade em 1977, mas fugiu dos Estados Unidos em 1978 antes de ser sentenciado. Ele vem sendo procurado pelas autoridades norte-americanas desde então, e em setembro passado foi preso na Suíça.

O diretor-celebridade agora está confinado em sua casa na estação de esqui de Gstaad, e autoridades suíças dizem que estão aguardando os resultados dos procedimentos legais nos Estados Unidos antes de decidir sobre sua possível extradição.

A iniciativa mais recente dos promotores marca a segunda vez desde a prisão de Polanski em que promotores e advogados da defesa se enfrentam em um tribunal de apelações da Califórnia em torno de procedimentos legais.

Em dezembro, o tribunal de apelações sugeriu que Polanski pudesse ser sentenciado sem retornar aos Estados Unidos, mas um juiz de uma corte inferior se negou a atender à sugestão, levando os advogados de defesa a registrar o recurso deste mês.

(Reportagem de Alex Dobuzinskis)

 
<p>Promotores pediram que novo pedido do cineasta Roman Polanski (foto) de ser sentenciado sem retornar aos Estados Unidos seja rejeitado. REUTERS/Arnd Wiegmann/files</p>