Juiz rejeita ação contra Stan Lee e a Marvel Entertainment

segunda-feira, 5 de abril de 2010 17:09 BRT
 

NOVA YORK (Reuters) - Um juiz federal de Manhattan arquivou uma ação judicial movida contra a Marvel Entertainment e o criador de histórias em quadrinhos Stan Lee envolvendo a propriedade de personagens famosos, incluindo o Homem Aranha, o Incrível Hulk, o Quarteto Fantástico e os X-Men.

A ação pedindo 750 milhões de dólares aberta em nome da Stan Lee Media alegou que acionistas da empresa foram prejudicados quando, em 1998, Stan Lee transferiu os direitos sobre os personagens para a Marvel, que hoje pertence à empresa Walt Disney. A Stan Lee Media registrou pedido de proteção por falência em 2001.

Em decisão tomada em 31 de janeiro, o juiz distrital Paul Crotty observou que o litígio em torno dos personagens se arrastou por quase dez anos em várias cortes estaduais e federais em Nova York, Califórnia e Colorado e incluiu um acordo de ação coletiva.

"É hora de dar um basta", escreveu Crotty em seu parecer, um documento de 14 páginas.

O juiz concluiu que os acionistas José Abadin e Christopher Belland não têm bases para mover sua ação porque só adquiriram suas ações na Stan Lee Media em 1999, mais de um ano após a alegada conduta ilegal.

Crotty também disse que os acionistas, pelo fato de terem aberto sua ação mais recente em janeiro de 2009, esperaram tempo demais, dizendo "eles não podem esperar uma década para pedir seus direitos".

A Disney comprou a Marvel em 31 de dezembro por cerca de 4,2 bilhões de dólares em dinheiro e ações.

(Reportagem de Jonathan Stempel)