Whitney Houston adia show em Paris por problemas de saúde

terça-feira, 6 de abril de 2010 10:41 BRT
 

LOS ANGELES (Reuters) - A diva do pop norte-americana Whitney Houston adiou um show em Paris na noite de terça-feira devido a problemas de saúde, atrasando o trecho europeu de sua turnê mundial que não foi recebida muito favoravelmente na Ásia e na Austrália.

Os organizadores do show disseram que a cantora de 46 anos estava ansiosa pela abertura de sua turnê europeia em Paris no Omnisport Bercy e lamentava ter que adiar o show.

"Whitney sofre de uma infecção respiratória e depois de uma consulta com seus médicos, recebeu a recomendação de adiar sua apresentação", disse um comunicado dos organizadores do evento.

A turnê dela continuará como programado em Manchester, na Grã-Bretanha, no dia 8 de abril, e uma nova data para Paris será anunciada em breve.

Houston, uma das cantoras com maior número de discos vendidos nos EUA em todos os tempos, lançou seu retorno no ano passado depois de lutar contra o vício das drogas com "I Look To You", seu primeiro álbum em sete anos, que chegou ao topo das paradas norte-americanas e de outras paradas internacionais.

Mas sua apresentação durante a turnê "Nothing but Love" na Austrália foi duramente recebida pelos críticos e fãs que saíram do show reclamando que ela estava desafinada, sem fôlego, e parecia exausta.

Sua publicitária Kristen Foster divulgou um comunicado negando que Houston estaria com problemas de saúde e insistiu que estava em ótima forma e tendo "um momento ótimo em sua turnê e com seus fãs".

A turnê de Houston começou na Coreia do Sul em fevereiro com apresentações no Japão e na Austrália. Sua turnê deve passar pela Grã-Bretanha, Itália, Suíça, Alemanha, Áustria, Bélgica, Dinamarca, Noruega, Suécia e Finlândia até junho.

 
<p>Whitney Houston recebe pr&ecirc;mio em Washington. A diva do pop norte-americana Whitney Houston adiou um show em Paris na noite de ter&ccedil;a-feira devido a problemas de sa&uacute;de, atrasando o trecho europeu de sua turn&ecirc; mundial que n&atilde;o foi recebida muito favoravelmente na &Aacute;sia e na Austr&aacute;lia.16/01/2010.REUTERS/Molly Riley</p>