Adultério é comum em aves, diz pesquisadora

segunda-feira, 12 de abril de 2010 21:01 BRT
 

Por Claire Sibonney

TORONTO (Reuters) - Nem tudo é amor no mundo das aves, onde o divórcio, o abandono dos filhos e o adultério são parte do cotidiano.

O livro "The Bird Detective" ("A detetive das aves"), que sai nesta semana no Canadá, desmente a imagem romântica de que as aves estabelecem casais por toda a vida, mostrando que na verdade elas traem e privilegiam o conforto.

"Em termos dos dez maiores mitos sobre as aves, o dos vínculos conjugais permanentes (...) ocorre para algumas aves, mas não para a maioria das aves canoras que estudamos", disse a autora do livro, Bridget Stutchbury, professora de Biologia da Universidade York, em Toronto.

O livro utiliza 20 anos de pesquisas com técnicas como monitoramento por rádio e exames de DNA, e mostra, por exemplo, machos da espécie Empidonax virescens fecundando fêmeas longe dos seus ninhos, e fêmeas do Vireo solitarius premeditando o divórcio, ao avaliar novos parceiros antes de abandonar sua prole.

"A principal descoberta é que muitas aves se divorciam por razões que os humanos descreveriam como egoístas", disse Stutchbury, lembrando que as fêmeas podem ir atrás de machos mais coloridos e que cantem melhor. Ou então podem "cair no mundo" e se mudar para áreas onde haja mais segurança e mais comida.

"As fêmeas estão procurando o macho de mais alta qualidade, para que a sua própria prole possa ser de alta qualidade", disse ela.

Depois de estudar dezenas de espécies canoras do Canadá, EUA e Panamá, ela disse que o encurtamento dos verões pode levar as fêmeas a abandonarem os ninhos antes que suas crias estejam totalmente emplumadas, pois assim elas podem rapidamente encontrar novos machos e botar mais ovos. Isso deixa os machos sozinhos na tarefa de alimentar os filhotes.

Já os machos podem triplicar ou quadruplicar seu sucesso reprodutivo se fertilizarem as fêmeas vizinhas, mas só os "parceiros" cuidam dos filhotes, e muitos se deixam enganar.   Continuação...