ESTREIA-"Lissi no Reino dos Birutas" é para adultos e crianças

quinta-feira, 22 de abril de 2010 13:06 BRT
 

SÃO PAULO (Reuters) - Um pouquinho do visual de "A Era do Gelo" aqui, uma boa dose de "Shrek" ali, uma pitada de cultura alemã acolá e pronto o resultado é a animação "Lissi no Reino dos Birutas", que estreia apenas em cópias dubladas nessa sexta-feira. O filme, que não traz nenhuma novidade no gênero e caberia muito bem direto na tela da televisão, tem um humor bem peculiar com algumas insinuações (bem de leve) politicamente incorretas.

"Lissi no Reino dos Birutas" foi escrito e dirigido pelo ator alemão Michael Berg, que, na versão original dubla diversos personagens (inclusive a heroína do título), e é uma animação competente, mas que ganha pontos mesmo no quesito humor capaz de tirar algumas risadas - para os adultos, por causa de sua sagacidade, e as crianças com os momentos de humor pastelão.

A história começa em alguma região gélida, à lá "A Era do Gelo", onde um Abominável Monstro das Neves vive de fanfarrice e devora os animais para se alimentar. Quando cai em um penhasco ele faz um pacto com o Diabo para salvar sua vida: capturar a moça mais bela do mundo - ele tem uma semana para fazer isso.

Num Reino não muito distante dali, a Imperatriz Lissi espera a chegada do Imperador - seu amado. Ele é um pouco aparvalhado, mas tem bom coração, e os dois se amam. Quando ele retorna, o casal retoma suas atividades preferidas, como golfe com chocolate e caça a patinadores no gelo.

Tecnicamente, Lissi não é lá muito bela, mas para questões do filme, a beleza dela serve. E a criatura monstruosa do gelo a captura. Lissi, com sua ingenuidade um tanto patética quer ser amiga do animal.

O Imperador, por sua vez, também sai em busca de Lissi e oferece uma recompensa se alguém capturar o Monstro das Neves. Entram em cena dois camponeses aparvalhados que tentam capturar a criatura, mas colocam em risco a vida da Imperatriz.

O humor de "Liss no Reino dos Birutas" vem, basicamente, de absurdos e de diálogos. Como a Rainha, mãe do Imperador, que quer a todo custo seduzir um militar, ou os dois camponeses que param tudo para tomar chá se alguém pergunta se eles são ingleses.

É uma pena que essa animação corre o risco de passar despercebida, já que estreia no mesmo final de semana quando os olhos cinéfilos se voltam para outra personagem de nome bem parecido, mas que está no País das Maravilhas.

(Por Alysson Oliveira, do Cineweb)

* As opiniões expressas são responsabilidade do Cineweb