Em novo disco, Usher expõe "batalha" interna

sexta-feira, 23 de abril de 2010 14:53 BRT
 

Por Mike Collett-White

LONDRES (Reuters) - O novo disco do cantor Usher, "Raymond v. Raymond", traz de volta o "bom partido". Para ele, o álbum é uma expressão de sua batalha para equilibrar a vida corrida com os compromissos como homem e pai de família.

No ano passado, o astro de R&B de 31 anos, um dos músicos que mais vendem no mundo, entrou com pedido de divórcio da mãe de seus dois filhos pequenos, e os sentimentos de raiva, culpa e alívio permeiam a música do último disco.

Há também uma celebração por estar solteiro de novo, o que coloca Raymond v. Raymond em algum ponto entre o sucesso de 2004 "Confessions" e a continuação mais suave, embora menos bem-sucedida, "Here I Stand", lançado depois de seu casamento em 2007 com Tameka Foster.

"'Here I Stand' foi um álbum muito pessoal, muito honesto, não havia tanto drama, porque eu estava num lugar feliz, estava casado, eu tinha filhos e estava de fato amadurecendo", disse Usher à Reuters numa entrevista por telefone.

Laureado cinco vezes pelo prêmio Grammy, Usher deveria conceder entrevistas em Londres esta semana, mas o fechamento do espaço aéreo da Europa provocado pelas cinzas vulcânicas impediu que ele viajasse.

"Essa mesma aceitação de que a idade está chegando está neste álbum, é apenas uma história diferente", acrescentou.

"Não estou mais casado, e a realidade de sustentar e equilibrar a celebridade que sou e o indivíduo que me tornei é o tema de Raymond v. Raymond. Se tivesse de colocar em poucas palavras, diria que Raymond v. Raymond é um pouco do Confessions e um pouco do Here I Stand."

Em "Papers", Usher parece falar de seu divórcio na estrofe: "I'm ready to sign them papers, papers, papers". (Estou pronto para assiná-los papeis, papeis, papeis).   Continuação...

 
<p>Usher se apresenta durante participa&ccedil;&atilde;o no programa Good Morning America do ABC em Nova York. O novo disco do cantor, "Raymond v. Raymond", traz de volta o "bom partido". Para ele, o &aacute;lbum &eacute; uma express&atilde;o de sua batalha para equilibrar a vida corrida com os compromissos como homem e pai de fam&iacute;lia. 30/03/2010 REUTERS/Lucas Jackson</p>