23 de Abril de 2010 / às 18:00 / em 7 anos

Em novo disco, Usher expõe "batalha" interna

<p>Usher se apresenta durante participa&ccedil;&atilde;o no programa Good Morning America do ABC em Nova York. O novo disco do cantor, "Raymond v. Raymond", traz de volta o "bom partido". Para ele, o &aacute;lbum &eacute; uma express&atilde;o de sua batalha para equilibrar a vida corrida com os compromissos como homem e pai de fam&iacute;lia. 30/03/2010 REUTERS/Lucas Jackson</p>

Por Mike Collett-White

LONDRES (Reuters) - O novo disco do cantor Usher, “Raymond v. Raymond”, traz de volta o “bom partido”. Para ele, o álbum é uma expressão de sua batalha para equilibrar a vida corrida com os compromissos como homem e pai de família.

No ano passado, o astro de R&B de 31 anos, um dos músicos que mais vendem no mundo, entrou com pedido de divórcio da mãe de seus dois filhos pequenos, e os sentimentos de raiva, culpa e alívio permeiam a música do último disco.

Há também uma celebração por estar solteiro de novo, o que coloca Raymond v. Raymond em algum ponto entre o sucesso de 2004 “Confessions” e a continuação mais suave, embora menos bem-sucedida, “Here I Stand”, lançado depois de seu casamento em 2007 com Tameka Foster.

“‘Here I Stand’ foi um álbum muito pessoal, muito honesto, não havia tanto drama, porque eu estava num lugar feliz, estava casado, eu tinha filhos e estava de fato amadurecendo”, disse Usher à Reuters numa entrevista por telefone.

Laureado cinco vezes pelo prêmio Grammy, Usher deveria conceder entrevistas em Londres esta semana, mas o fechamento do espaço aéreo da Europa provocado pelas cinzas vulcânicas impediu que ele viajasse.

“Essa mesma aceitação de que a idade está chegando está neste álbum, é apenas uma história diferente”, acrescentou.

“Não estou mais casado, e a realidade de sustentar e equilibrar a celebridade que sou e o indivíduo que me tornei é o tema de Raymond v. Raymond. Se tivesse de colocar em poucas palavras, diria que Raymond v. Raymond é um pouco do Confessions e um pouco do Here I Stand.”

Em “Papers”, Usher parece falar de seu divórcio na estrofe: “I‘m ready to sign them papers, papers, papers”. (Estou pronto para assiná-los papeis, papeis, papeis).

Usher disse que a decisão de cantar sobre assuntos pessoais foi em parte um comentário sobre as pessoas vivendo “indiretamente por meio do sensacionalismo” na forma de fofoca de celebridades.

Questionado sobre por que as pessoas pareciam tão fascinadas pela vida pessoal dos famosos, respondeu: “Muitas pessoas estão fugindo de suas verdades difíceis.”

Reportagem de Mike Collett-White

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below