Previsão de receita publicitária da TV dos EUA melhora neste ano

sexta-feira, 7 de maio de 2010 18:39 BRT
 

Por Paul Thomasch

NOVA YORK (Reuters) - As redes de televisão dos Estados Unidos podem receber pelo menos 1 bilhão de dólares em vendas extras de comerciais para a temporada de TV do horário nobre que vai começar --uma melhora grande, após a performance deprimente do ano passado.

As vendas de espaço publicitário começam a valer neste mês, depois de ABC, CBS, NBC e Fox apresentarem suas programações para 2010-2011, e podem se encerrar em semanas, possivelmente até o início de julho, segundo executivos publicitários e da televisão.

Na mesma época do ano passado, anunciantes e emissoras estavam prestes a iniciar negociações prolongadas e frustrantes. Ao término delas, os anunciantes compraram 15 por cento menos tempo de comerciais e conseguiram reduzir os preços do tempo para comerciais na TV pela primeira vez em oito anos.

Neste ano, porém, ABC, CBS, NBC e Fox podem recuperar a maior parte daquele dinheiro perdido, já que setores importantes como o automotivo, o varejista e o de serviços financeiros se encontram em situação bem melhor que no ano passado.

Um analista da Barclays Capital previu que os dólares de anunciantes ganhos pelas quatro maiores redes abertas dos EUA devem subir 20 por cento neste ano, para 8,26 bilhões de dólares.

Executivos publicitários e da televisão, muitos deles exigindo anonimato em função da delicadeza das negociações, disseram que o clima nas reuniões preliminares entre os dois lados está muito diferente do ano passado.

A confiança maior na economia está reforçando as vendas de espaço publicitário, e isso pode ser testemunhado nos valores que os anunciantes estão pagando por espaços adquiridos de último minuto. Em muitos casos, estão pagando 20 a 30 por cento mais que no ano passado.

Os investidores parecem saber que os anunciantes estão voltando a comprar. No último anos, as ações da Walt Disney Company, dona da rede ABC, da News Corporation, proprietária da Fox, e da CBS Corporation, dona da CBS, ultrapassaram o índice S&P-500.