Obras de Picasso e Matisse são roubadas de museu de Paris

quinta-feira, 20 de maio de 2010 13:23 BRT
 

Por Thierry Leveque e Elisabeth Pineau

PARIS (Reuters) - Ladrões de arte roubaram telas de Pablo Picasso, Henri Matisse, Amedeo Modigliani e dois outros artistas famosos de um museu de Paris, em um furto de 100 milhões de euros (124,2 milhões de dólares).

Funcionários do Museu de Arte Moderna de Paris disseram ter descoberto o desaparecimento das cinco telas, que incluíam obras de Fernand Leger e Georges Braque, depois de notarem uma vidraça quebrada quando abriram o museu na quinta-feira.

"Este é um crime sério contra o patrimônio da humanidade", disse em coletiva de imprensa o representante cultural da prefeitura de Paris, Christophe Girard.

Ele disse que o furto foi cometido por "um ou mais indivíduos obviamente organizados".

Funcionários do museu disseram que o valor total das telas é de cerca de 100 milhões de euros, revendo uma cifra anterior de 500 milhões de euros divulgada pela polícia e promotores públicos.

Trata-se do mais recente roubo de arte em Paris. Em junho do ano passado, ladrões roubaram do Museu Picasso 32 desenhos no valor de 8 milhões de euros.

As obras roubadas são "O Pombo e as Ervilhas", de Picasso, "A Pastoral", de Matisse, "Oliveira Próxima a Estaque," de Braque, "Mulher com Leque", de Modigliani, e "Natureza Morta com Candelabros", de Leger.

"O Pombo e as Ervilhas", de Picasso, tela que data da fase cubista do mestre espanhol, vale 22 milhões de euros sozinha.   Continuação...

 
<p>Policial forense franc&ecirc;s conduz investiga&ccedil;&atilde;o na frente do Mus&eacute;e d'Art Moderne de la Ville de Paris, onde cinco obras de Pablo Picasso, Fernand Leger, Henri Matisse, Georges Braque e Amedeo Modigliani no valor de 500 milh&otilde;es de euros foram roubadas, 20 de maio de 2010. REUTERS/Benoit Tessier</p>