Filme sobre independência da Argélia provoca protestos em Cannes

sexta-feira, 21 de maio de 2010 13:00 BRT
 

Por James Mackenzie

CANNES (Reuters) - Um filme sobre a luta sangrenta pela independência da Argélia estreou na sexta-feira em Cannes em meio a segurança policial intensa, enquanto manifestantes do lado de fora protestavam, dizendo que o filme macula a memória do Exército francês.

"Hors la Loi" (Fora da Lei), pela equipe responsável pelo premiado "Dias de Glória," de 2006, completa a seleção oficial e acrescenta um elemento de controvérsia ao maior festival de cinema do mundo.

Quase cinco décadas após a independência da Argélia, em 1962, o diretor Rachid Bouchareb trata de uma questão que ainda é altamente delicada na França, mas disse que sua intenção é provocar discussões, e não confrontos.

"Eu sabia que o passado colonial e a relação com o passado colonial entre França e Argélia ainda é muito tensa, mas acho que as reações e tudo o que vem sendo dito, antes mesmo de alguém assistir ao filme, têm sido excessivas."

Como se para destacar o que ele disse, policiais de choque se postaram diante do Palais des Festivals enquanto centenas de manifestantes portando bandeiras, entre eles veteranos militares e partidários da Frente Nacional, de extrema direita, passaram em passeata pela prefeitura de Cannes.

"Queremos deixar claro com nossa manifestação que é intolerável que dinheiro público francês seja usado para macular o Exército francês e as ações da França na Argélia", disse o ex-senador francês e veterano de guerra Jacques Peyrat.

Milhares de pessoas morreram na brutal guerra de independência da Argélia, um conflito que deixou feridas profundas ainda abertas na Argélia e na França.

Mas Bouchareb disse que espera que o país ajude a fomentar um debate aberto e que "depois disso precisamos passar para outra coisa".   Continuação...

 
<p>Manifestante mostra cartaz em protesto contra o filme "Hors La Loi" ("Fora da Lei"), do diretor Rachid Bouchareb, que concorre no 63o Festival de Cinema de Cannes, 21 de maio de 2010. O cartaz mostra uma figura com a bandeira da Arg&eacute;lia, com a palavra "Assassinos". Um filme sobre a luta sangrenta pela independ&ecirc;ncia da Arg&eacute;lia estreou na sexta-feira em Cannes em meio a seguran&ccedil;a policial intensa, enquanto manifestantes do lado de fora protestavam, dizendo que o filme macula a mem&oacute;ria do Ex&eacute;rcito franc&ecirc;s. REUTERS/Eric Gaillard</p>