Belo ou maçante? Filme premiado em Cannes divide críticos

segunda-feira, 24 de maio de 2010 12:08 BRT
 

Por Mike Collett-White e James Mackenzie

CANNES (Reuters) - Poucos filmes bons, poucos astros e estrelas e um filme premiado que deixou muitas pessoas perplexas: a edição 2010 do festival de Cinema de Cannes dificilmente será recordada como um clássico.

O filme tailandês "Uncle Boonmee Who Can Recall His Past Lives", um dos 19 da competição principal, recebeu a Palma de Ouro de melhor filme, alegrando alguns críticos mas enfurecendo outros.

"'Uncle Boonmee', Palma de Tédio" foi a manchete da segunda-feira do jornal francês Le Figaro, que descreveu o filme do diretor tailandês Apichatpong Weerasethakul, sobre a reencarnação, como "maçante, incompreensível e alucinatório".

O jornal italiano Corriere della Sera disse que foi "imperdoável" o júri de Cannes, encabeçado por Tim Burton, ter deixado de premiar "Another Year", de Mike Leigh, mas o britânico The Guardian descreveu "Uncle Boonmee" como "liricamente belo".

Tim Burton disse que escolheu Weerasethakul, que não conseguiu ir a Cannes devido aos distúrbios na Tailândia, porque seu trabalho é tão distante do cinema mainstream, destacando o fato de Cannes orgulhar-se de descobrir filmes que, de outro modo, poderiam ter dificuldade em encontrar público.

"O mundo está ficando menor, e os filmes estão ficando mais ocidentalizados ou hollywoodizados. Para mim, este foi um filme que eu senti que estava assistindo desde outro país, de outra perspectiva", disse.

"Of Gods and Men", do cineasta francês Xavier Beauvois, recebeu o segundo prêmio mais importante do festival, o Grande Prêmio do Júri, e teria sido um vencedor bem visto da Palma de Ouro.

O relato do assassinato de sete monges trapistas envolvidos nos distúrbios civis ocorridos na Argélia nos anos 1990 foi quase universalmente elogiado por sua reflexão comedida sobre crença, coragem e tolerância religiosa.   Continuação...

 
<p>O diretor tailand&ecirc;s Apichatpong Weerasethakul exibe sua Palma de Ouro pelo filme "Uncle Boonmee Who Can Recall his Past Lives", na premia&ccedil;&atilde;o do 63o Festival de Cinema de Cannes, 23 de maio de 2010. REUTERS/Vincent Kessler</p>