26 de Maio de 2010 / às 20:55 / 7 anos atrás

Vida de Cynthia Nixon difere do glamour de "Sex and the City"

<p>"Aquela n&atilde;o &eacute; minha Nova York", disse a atriz Cynthia Nixon sobre o mundo de "Sex and the City". 24/05/2010Lucas Jackson</p>

Por Christine Kearney

NOVA YORK (Reuters) - Ela é conhecida principalmente pelo papel de solteira estilosa nova-iorquina em busca de homens, mas na realidade o mundo da atriz Cynthia Nixon, de "Sex and the City", gira em torno da vida familiar com sua parceira e um estilo de vida distante do glamour de Nova York.

Ativista dos direitos dos gays, Nixon está de volta em "Sex and the City 2", que estreia na quinta-feira nos EUA. Ela retoma sua personagem do seriado que ficou anos no ar - uma advogada workaholic que integra um quarteto de amigas que curtem a vida noturna, a moda e a busca por homens.

Na vida real, Nixon, 44 anos, pode ser encontrada mais facilmente em seu bairro nova-iorquino, trajando calças de ioga e de mãos dadas com um filho - tudo muito distante do brilho de "Sex and the City".

"É difícil para mim às vezes, porque sinto que aquela não é minha Nova York", disse Nixon, acrescentando que espera que as mulheres tirem do filme a mensagem de que "é importante ficar bonita, não necessariamente para conseguir um homem, mas porque isso faz você se sentir bem. Use isso como uma forma de auto-expressão."

O segundo filme "Sex and the City" traz Miranda casada, com um filho, esforçando-se para romper o telhado de vidro em seu local de trabalho e compartilhando experiências de maternidade.

Na vida real, Cynthia Nixon pretende se casar com Christine Marinoni, com quem cria os dois filhos que teve com seu parceiro anterior. Sobrevivente de um câncer de mama, ela é porta-voz de pesquisas contra o câncer e trabalha para apoiar as escolas públicas de Nova York.

Ela diz que sua abertura em relação a seu relacionamento gay não prejudica os papéis que lhe vêm sendo oferecidos desde que "Sex and the City", o seriado, terminou seis anos atrás.

No passado, Hollywood era hostil em relação aos atores publicamente homossexuais, temendo que isso pudesse desagradar ao público. Mas Nixon, que faz parte de uma nova leva de artistas que falam abertamente sobre sua homossexualidade, disse que esses temores são infundados hoje.

"Desde que Hollywood surgiu, sempre houve atores gays representando personagens heterossexuais", disse ela, que vem apoiando publicamente o casamento gay desde que fez manchetes, em 2004, quando começou a namorar Christine Marinoni.

Nixon disse que a idade pode ser um fator mais importante nos papéis que ela puder conseguir. "Não sou nenhuma adolescente. Não vão me escolher para representar uma garota de 25 anos contracenando com Jake Gyllenhaal, por exemplo."

Nova-iorquina de nascimento que começou na televisão aos 12 anos de idade, Nixon já recebeu prêmios Emmy, Grammy e Tony por seu trabalho.

Ela gostaria principalmente de ser conhecida por uma vida como atriz que se estenda muito além do sucesso de "Sex and the City".

"Laurence Olivier dizia que a melhor coisa para um ator jovem é aprender a ser um ator mais velho, e é isso o que eu quero", disse ela. "Um destes dias 'Sex and the City' vai acabar, mas eu vou continuar por aqui."

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below