Ex-produtor de "Survivor" se diz inocente em morte de brasileira

terça-feira, 1 de junho de 2010 11:49 BRT
 

CANCÚN, México (Reuters) - Um ex-produtor do seriado de TV norte-americano "Survivor" que é procurado no México pelo assassinato de sua mulher brasileira declarou-se inocente publicamente na segunda-feira.

Um juiz mexicano emitiu um mandado de prisão contra Bruce Beresford-Redman, cuja mulher, a brasileira Monica, foi encontrada morta numa tubulação de esgoto de um hotel de luxo na cidade turística de Cancún, em abril, onde o casal passava férias com seus dois filhos pequenos.

O corpo de Monica foi encontrado no hotel Moon Palace um dia depois de testemunhas terem visto o casal discutindo no jardim do hotel, segundo a polícia. A autópsia revelou que ela foi golpeada na cabeça e depois sufocada.

Francisco Alor, promotor de justiça do Estado mexicano de Quintana Roo, onde Cancún se localiza, confirmou na segunda-feira que a investigação foi encerrada e que um mandado de prisão foi emitido contra Beresford-Redman, considerado o suspeito principal do homicídio cometido em 5 de abril.

Mas Beresford-Redman, que deixou o México após o assassinato de sua mulher e se encontra nos Estados Unidos, divulgou comunicado através de seu advogado negando envolvimento no crime.

"Monica era o eixo em torno do qual toda nossa família girava. De suas irmãs e seus pais até meus pais e, é claro, nossos filhos e eu, ela era tudo para nós," disse ele no comunicado.

"Estou arrasado com a morte dela e furioso com a sugestão de que eu possa ter tido algum envolvimento com sua morte. Sou inocente. Meus filhos já perderam a mãe em um ato de violência sem sentido. Imploro às autoridades mexicanas que não tirem o pai deles em um erro de justiça e que façam o que é certo, e não apenas o que é mais fácil."

Depois de citar Beresford-Redman como suspeito principal do crime, as autoridades mexicanas apreenderam seu passaporte e ordenaram que ele permanecesse no México, mas ele retornou aos Estados Unidos.

Indagado se seu departamento pretende pedir a extradição de Beresford-Redman ao México, Alor se negou a responder.

O advogado de Beresford-Redman, Robert Hirsch, disse que seu cliente é inocente e está "preparado para defender-se em um tribunal de justiça."

(Reportagem de José Cortazar)