McCartney se diz honrado por receber importante prêmio musical

quarta-feira, 2 de junho de 2010 12:02 BRT
 

WASHINGTON (Reuters Life!) - Paul McCartney disse na terça-feira que está honrado por receber um dos mais importantes prêmios musicais dos Estados Unidos, o Prêmio Gershwin da Canção Popular, dado pela Biblioteca do Congresso.

Para marcar a ocasião, um elenco de astros que incluirá Stevie Wonder, os Jonas Brothers, Herbie Hancock e Elvis Costello vai homenagear o ex-Beatle em um concerto na Casa Branca na quarta-feira, presidido pelo presidente Barack Obama.

McCartney é o primeiro não norte-americano a receber o prêmio, que só foi concedido duas vezes até agora: a Paul Simon em 2007 e a Stevie Wonder em 2009.

"É fantástico para mim estar aqui, porque, quando era criancinha, cresci ouvindo a música dos irmãos Gershwin, que eu adorava. E, é claro, eu não fazia ideia de que algum dia poderia estar neste lugar, recebendo uma honra como esta," disse McCartney em coletiva de imprensa em Washington, na terça-feira.

"Se alguém me tivesse dito isso quando eu era menino, em Liverpool, eu jamais teria acreditado. Então isto é muito especial para mim."

O prêmio criado pela Biblioteca do Congresso celebra a carreira musical de McCartney, que abrange cinco décadas, desde sua época dos Beatles até sua atual produção solo.

O nome do prêmio é homenagem à dupla norte-americana de irmãos compositores George e Ira Gershwin, e o prêmio "homenageia músicos cujas carreiras refletem um trabalho vitalício de promoção da canção como veículo de expressão artística e entendimento cultural."

McCartney, que vai completar 68 anos neste mês, também vai cantar no concerto desta quarta-feira, que será transmitido pela televisão em 28 de julho.

(Reportagem da Reuters TV)

 
<p>Paul McCartney acena ao deixar coletiva de imprensa ap&oacute;s receber o Pr&ecirc;mio Gershwin da Can&ccedil;&atilde;o Popular em Washington. McCartney disse na ter&ccedil;a-feira estar honrado por receber um dos mais importantes pr&ecirc;mios musicais dos Estados Unidos,, dado pela Biblioteca do Congresso. REUTERS/Jonathan Ernst</p>