Justiça do Irã confirma prisão de cineasta e chibatadas

quarta-feira, 2 de junho de 2010 13:28 BRT
 

TEERÃ (Reuters) - Uma corte iraniana confirmou uma sentença de três anos e meio de detenção e 50 chibatadas contra um jornalista e cineasta condenado por propaganda anti-Estado e por insultos ao líder supremo, informou a mídia.

Mohammad Nourizad foi detido no fim do ano passado após publicar em seu blog na Internet cartas que foram consideradas desrespeitosas à maior autoridade do Irã, o aiatolá Ali Khamenei, e outras importantes autoridades.

Blogs opositores disseram que ele apanhou enquanto esteve detido em uma penitenciária no Irã, onde deu início à greve de fome.

A confirmação de sua sentença ocorre no momento em que autoridades se preparam para o primeiro aniversário, em 12 de junho, da polêmica eleição presidencial que levou milhares de pessoas às ruas em protesto em meio a temores sobre fraude.

Em um sinal de que o governo possa estar apertando o cerco a militantes na véspera de possíveis protestos para celebrar a data, dois jornalistas que trabalham para jornais moderados foram detidos na noite de segunda-feira e enviados à cadeia Evin, informou o jornal Sharq.

Não foram explicados os motivos para as prisões.

Na semana passada, o famoso cineasta Jafar Panahi, partidário do líder opositor Mirhossein Mousavi foi libertado da prisão após 88 dias preso e uma semana em greve de fome, mediante o pagamento de fiança.

(Reportagem de Robin Pomeroy)