ESTREIA-Violência e humor dominam "Kick-Ass-Quebrando Tudo"

quinta-feira, 17 de junho de 2010 17:34 BRT
 

SÃO PAULO (Reuters) - Quem acreditar que "Kick-Ass - Quebrando Tudo" é apenas uma comédia besteirol para adolescentes terá subestimado um dos filmes mais vigorosos para esse público. Longe de trazer personagens nerds, tão em voga nos últimos tempos, a produção, em estreia no país, consegue ser inovadora e audaz na forma com que mistura ação, drama, humor e super-heróis.

Baseado em um HQ homônimo (criado por Mark Millar), o filme do diretor inglês Matthew Vaughn (de "Nem Tudo é o que Parece" e "Stardust - O Mistério da Estrela") consegue comover, ao mesmo tempo em que choca a plateia pela violência injetada a cada cena. Com seu roteiro, ele subverte a ideia de justiceiros, mostrando que, sim, os meios também justificam os fins.

Kick-Ass é o alter-ego de Dave Lizewski (bem interpretado pelo inglês Aaron Johnson), um jovem convencional, sem brilho ou problemas. Sentindo-se impotente frente aos crimes que ocorrem ao seu redor, passa a acreditar que, para ser um super-herói, basta ter força de vontade e indignação.

Sem poderes especiais ou acessórios excêntricos, Dave compra pela Internet uma roupa vibrante e se sente capaz de lutar contra o banditismo. Com um treinamento frente ao espelho, já no primeiro confronto ele é surrado, esfaqueado e atropelado, em cenas recheadas de humor negro.

Quando volta à ativa, sente-se ainda mais confiante para enfrentar os desajustados, já que sua temporada no hospital lhe rendeu um esqueleto quase todo de pinos de aço e nenhuma sensibilidade à dor. Logo, em um enfrentamento solitário contra uma gangue, em que leva pontapés como uma bola de futebol, consegue permanecer de pé e virar hit na Internet.

Ao mesmo tempo em que Dave torna-se Kick-Ass, Damon (Nicolas Cage) ensina a sua filha Mindy (Chloe Moretz) a não ter medo ou sentir dor frente ao perigo imediato. E, quando menos se espera, leva um tiro à queima-roupa no peito. Um teste para se tornar a Hit-Girl (com 10 anos), ao lado de seu pai, Big Daddy, outro vigilante que combate o chefão do tráfico Frank D'Amico (Mark Strong, de "Sherlock Holmes").

Os mundos colidem quando o vilão passa a perseguir o trio, já que a interferência deles está arruinando seus negócios. Com excelentes atuações, em especial a da jovem Chloe Moretz (que chacina e apanha de maneira perturbadora), a produção é mordaz sobre o mundo dos super-heróis dos quadrinhos. É também incômoda pela falta de escrúpulos.

Mas é a completa falta de censura que torna Kick-Ass tão pungente. Por ser diretor, roteirista e produtor, Matthew Vaughn teve autonomia para fazer o que bem quis e já anunciou uma sequência ainda mais pesada. Considerado ultra-violento, ultra-pop e ultra-divertido, o filme pode dirigir-se para adolescentes, mas não deve ser visto como um trabalho menor.

(Por Rodrigo Zavala, do Cineweb)

* As opiniões expressas são responsabilidade do Cineweb

 
<p>Atores Christopher Mintz-Plasse (baixo) e Aaron Johnson posam para foto durante promo&ccedil;&atilde;o do filme "Kick-Ass - Quebrando Tudo" em Nova York. O filme estreia nesta sexta-feira em circuito nacional. 08/04/2010 REUTERS/Lucas Jackson</p>