Flórida prepara-se para ser 'inundada' por fãs de 'Harry Potter'

sexta-feira, 18 de junho de 2010 15:59 BRT
 

Por Barbara Liston

ORLANDO, Estados Unidos (Reuters Life!) - Eles devoraram os livros e acamparam em frente aos cinemas para assistir aos filmes. Agora, espera-se que os fãs partam em caravanas para Orlando na sexta-feira para a inauguração oficial do parque temático Wizarding World of Harry Potter na Universal Orlando.

"Acreditamos que esta região ficará extremamente congestionada," disse o sargento Kim Montes, da Patrulha Rodoviária da Flórida.

Nas últimas duas semanas, uma das duas principais agências de turismo online registrou um aumento de dois dígitos das viagens reservadas para Orlando, de acordo vom Gary Sain, presidente do Orlando/Orange County Convention and Visitors Bureau.

"Tendo a acreditar que o Harry Potter faça parte disso," afirmou Sain.

Os executivos da Universal deram apenas indicações vagas das projeções de público e de receita para a nova atração.

"Obviamente esperamos que isso tenha um efeito muito, muito bom sobre o público," disse Bill Davis, chairman da Universal Orlando Resorts. "Esperamos que isso ajude no turismo geral do Estado e de Orlando."

A Universal abriu o estacionamento às 5h30 para acomodar a multidão esperada para a grande cerimônia de abertura, às 9h.

Nos dias que antecederam a inauguração, o parque temático manteve uma central de imprensa para jornalistas provenientes do mundo inteiro para a cobertura do evento.

A Universal Orlando é de propriedade da empresa de capitais de risco Blackstone Group e da NBC Universal, unidade da General Electric Co.

A construção do parque do Harry Potter custou oficialmente 250 milhões de dólares e recria a escola Hogwarts de bruxaria e outros locais imaginados pela autora J.K. Rowling em seus livros sobre o garoto.

 
<p>Convidados se animam com a presen&ccedil;a do elenco da saga "Harry Potter" no Wizarding World of Harry Potter na Universal Studios, durante sua abertura em Orlando, Fl&oacute;rida, 18 de junho de 2010. REUTERS/Scott Audette</p>