29 de Junho de 2010 / às 19:40 / 7 anos atrás

ESTREIA-Triângulo amoroso aumenta emoções em "Eclipse"

SÃO PAULO (Reuters) - Depois de um começo morno, o triângulo amoroso formado pela apaixonada Bella (Kristen Stewart), o vampiro Edward (Robert Pattinson) e o lobisomem Jacob (Taylor Lautner) finalmente esquenta em “A Saga Crepúsculo: Eclipse”, a terceira adaptação para o cinema da tetralogia vampiresca escrita por Stephenie Meyer.

<p>A atriz norte-americana Kristen Stewart posa para foto ao lado do p&ocirc;ster do filme "Eclipse" em Roma, 17 de junho de 2010. REUTERS/Max Rossi</p>

O filme entra em cartaz em todo o país na quarta-feira, em cópias legendadas e dubladas. No se trata mais apenas de uma paixão adolescente. Agora, Edward quer casar, Bella não está mais só para beijos e Jacob, no papel de “o outro”, não esconde mais a atração física que sente pela jovem, que, aliás, é mútua.

Tudo muito comportado, mas com explícita verve sensual, potencializada pela competência do diretor David Slade (do vigoroso “MeninaMá.com”). O catalisador dessa complicada relação é, como no livro, a vulnerabilidade de Bella frente às constantes ameaças de viver cercada de vampiros e lobisomens.

Em “Eclipse”, quando a vilã Victoria (Bryce Dallas Howard, de “A Vila”) cria um exército de vampiros para matar a jovem, Edward precisará da ajuda de Jacob e de sua tribo para salvar sua amada.

Para entender o que se vê na tela é preciso voltar aos primeiros títulos.

Em “Crepúsculo”, o vampiro James (Cam Gigandet) enfrenta o clã dos Cullen, do qual Edward faz parte, para morder Bella. Como ele se dá mal, sua companheira Victoria forma o tal exército (durante o desenrolar de “Lua Nova”, em que não aparece) para promover sua desforra, que se vê nesta produção.

Como a ameaça os vence em número, os Cullen são obrigados a se aliar aos seus arqui-inimigos lobisomens para defender a cidade e salvar os protagonistas. Essa é a chance de Jacob conquistar o amor de Bella e despistar seu concorrente.

No entanto, a guerra que prometia mais ação para a história é, na verdade, um pano de fundo para potencializar a tensão entre o trio.

Em uma das cenas mais curiosas da trama, passada no alto de uma gélida montanha, Edward se vê obrigado a deixar Jacob deitar-se com Bella para esquentá-la, já que vampiros não irradiam calor.

Não há dúvidas de que os melhores episódios de “Eclipse” são os enfrentamentos entre os dois rapazes, que chegam em determinado ponto da história a “discutir sua relação”. Porém, quem sobressai nessa rivalidade é o ator Taylor Lautner, que conseguiu finalmente encontrar o tom de seu personagem.

Para os fãs da saga, um detalhe não pode passar despercebido: “Eclipse” dá rosto e voz à personagem Bree (Jodelle Ferland, de “Caso 39”), protagonista do novo livro anunciado por Stephenie Meyer, “The Short Second Life of Bree Tanner” (literalmente, “A Curta Segunda Vida de Bree Tanner”), uma espécie de adendo da tetralogia, sem data para publicação no Brasil.

Ao ver a histeria coletiva que a história provoca entre adolescentes, não é difícil observar que se trata de uma produção exclusivamente para esse público.

Como o desfecho desse triângulo amoroso só será visto no capítulo final, “Amanhecer”, dividido em duas produções (tal como ocorreu com “Harry Potter e as Relíquias da Morte”), Bella, Edward, Jacob e suas fãs ainda terão muito a se aventurar nos próximos dois anos.

(Por Rodrigo Zavala, do Cineweb)

* As opiniões expressas são responsabilidade do Cineweb

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below