Paris Hilton é detida na África do Sul após jogo do Brasil

sexta-feira, 2 de julho de 2010 22:04 BRT
 

PORT ELIZABETH, África do Sul (Reuters) - Paris Hilton foi detida nesta sexta-feira após acompanhar a partida entre Brasil e Holanda pelas quartas de final da Copa do Mundo sob suspeita de porte de maconha, mas foi libertada posteriormente sem acusações.

A celebridade norte-americana de 29 anos, bisneta do fundador da rede hoteleira Hilton, e sua amiga Jennifer Rovero foram detidas depois de assistirem ao jogo na cidade sul-africana de Port Elizabeth.

Jennifer, que se descreve como uma ex-coelhinha da Playboy, modelo ou atriz em seu site na Internet, foi sentenciada a pagar uma multa de 130 dólares ou se submeter a 30 dias de prisão por fumar um cigarro de maconha.

Seu advogado disse ao tribunal que ela estava na África do Sul para cobrir a Copa do Mundo como fotógrafa freelance.

"Elas estavam juntas, mas não tivemos acusações contra Hilton. O cigarro estava em posse de Rovero, e não de Hilton", disse o promotor à Reuters.

Paris compareceu à audiência judicial na cidade sul-africana bastante tensa e vestindo um casaco bege, calças verdes e botas. Seu agente emitiu um comunicado classificando a detenção de um mal-entendido.

"Paris Hilton foi questionada hoje (sexta-feira) pela polícia na África do Sul sobre alegações de fumar maconha", segundo o comunicado.

"Porém, eu posso confirmar que o incidente foi um completo mal-entendido e que outra pessoa no grupo foi a responsável. O caso contra Paris foi arquivado e nenhuma acusação será feita".

A África do Sul montou 56 tribunais especiais para lidar rapidamente com os casos envolvendo visitantes da Copa do Mundo.   Continuação...

 
<p>Paris Hilton posa para foto na pr&eacute;-estreia do document&aacute;rio sobre Michael Jackson "This Is It", em Los Angeles, em 2009. Ela foi brevemente detida na cidade sul-africana de Port Elizabeth nesta sexta-feira ap&oacute;s acompanhar a partida entre Brasil e Holanda pelas quartas de final da Copa do Mundo, mas foi libertada em seguida. 27/10/2009 REUTERS/Mario Anzuoni</p>