"A Origem" já provoca especulações sobre chances de Oscar

segunda-feira, 19 de julho de 2010 13:06 BRT
 

Por Gregg Kilday

LOS ANGELES (Hollywood Reporter) - Pode "A Origem" sonhar em segurança com a glória do Oscar? Esse é um enigma que vai permanecer muito tempo depois de os espectadores terem deixado de discutir as ambiguidades do novo mergulho eletrizante no subconsciente dirigido por Christopher Nolan.

A Academia de Artes e Ciências Cinematográficas não recompensou o trabalho anterior de Nolan, "Batman - O Cavaleiro das Trevas", com uma indicação a melhor filme, apesar de ter dado oito outras indicações ao filme de grande bilheteria. E, embora os sindicatos de roteiristas, diretores e produtores terem indicado Nolan pelo filme, a Academia não o fez. Até agora Nolan recebeu apenas uma indicação ao Oscar, pelo roteiro original de "Amnésia".

Os protestos resultantes dos fãs de "Cavaleiro das Trevas" foram tantos que influíram sobre a decisão tomada no ano passado para elevar de cinco para dez o número de indicados a melhor filme, disse o então presidente da Academia, Sid Ganis.

Uma indicação a melhor filme para "Origem" representaria alguma compensação pela desfeita a "Cavaleiro das Trevas", mas ainda faltam seis meses para as indicações, e tudo é incerto.

A Warner Bros. superou o primeiro obstáculo neste fim de semana, quando "A Origem" estreou com sólidos 60,4 milhões de dólares na América do Norte. Os indicados ao Oscar não precisam ser blockbusters comerciais, mas, se os fãs de Christopher Nolan não tivessem comparecido em massa, isso teria prejudicado as chances do filme.

Outros filmes visionários anteriores como "2001 - Uma Odisseia no Espaço", "Blade Runner" e "Matrix" não receberam indicações ao Oscar de melhor filme, apesar de terem sido indicados em outras categorias. Mas talvez seja bom presságio o fato de "Quando Fala o Coração", o mergulho feito por Alfred Hitchcock em 1945 na análise freudiana dos sonhos e no surrealismo à moda de Dali, ter recebido indicações ao Oscar de melhor filme e diretor. E, como "Cavaleiro das Trevas", "A Origem" deve ser competitivo em diversas categorias.

Suas chances nas categorias de atuação - em que "Cavaleiro das Trevas" deu um Oscar póstumo de melhor atuação coadjuvante a Heath Ledger - são as mais problemáticas.

O elenco de "A Origem" possui credenciais impressionantes: Leonardo DiCaprio, Ellen Page e Ken Watanabe já foram indicados antes, e Michael Caine e Marion Cotillard já foram premiados.

Mas, em "A Origem", todos os atores trabalham a serviço da trama enigmática do filme, que raramente se demora tempo suficiente para lhes proporcionar as cenas dramáticas que têm a preferência da Academia. E Leonardo DiCaprio pode perder alguns votos para sua outra performance deste ano no papel de um homem envolvido em jogos mentais, em "Ilha do Medo", de Martin Scorsese.

 
<p>Leonardo DiCaprio, Marion Cotillard (dir) e Ellen Page na estreia de "A Origem" em Hollywood. 13/07/2010 REUTERS/Mario Anzuoni</p>