"Cidade dos homicídios" mexicana está fora de controle,diz autor

quarta-feira, 21 de julho de 2010 13:31 BRT
 

Por Robin Emmott

CIDADE DO MÉXICO (Reuters Life!) - Disputas entre cartéis de narcotráfico rivais saíram do controle, desencadeando uma onda de violência que as forças de segurança não conseguem conter, disse o autor de um novo livro sobre a crescente guerra das drogas no México.

"Murder City" (Cidade dos homicídios), o mais recente de mais de uma dúzia de livros do escritor norte-americano Charles Bowden sobre drogas e imigração na fronteira EUA-México, documenta os assassinatos de matadores, policiais e transeuntes em uma guerra do tráfico que já deixou mais de 26 mil mortos desde o final de 2006 e vem definindo a presidência de Felipe Calderón.

Residente no Arizona, Bowden passou vários meses em 2008 no submundo de Ciudad Juarez, ao sul de El Paso, no Texas, que é a principal rota de entrada de drogas nos Estados Unidos e é hoje a cidade mais violenta do mundo.

Misturando jornalismo com histórias sinistras e poéticas sobre um matador, uma vencedora de concurso de beleza, um jornalista e um padre, Bowden argumenta que os ataques em Ciudad Juarez -- tiroteios em plena luz do dia, decapitações e policiais assassinados -- não podem mais ser atribuídos unicamente à rivalidade entre Vicente Carrillo, chefe do cartel de Juarez, e Joaquin "Shorty" Guzman, que comanda o cartel de Sinaloa.

A disputa entre eles criou um inferno no qual jovens desempregados enxergam como seu único futuro ingressar em quadrilhas e atuar em incontáveis batalhas sobre tráfico de drogas, contrabandos e sequestros.

"Acho que Vicente Carrillo e Shorty Guzman não poderiam se dar um aperto de mãos e dizer 'está terminado'. Acho que não existe ninguém que pudesse dar um telefonema hoje para parar com tudo isso", disse Bowden em entrevista recente.

A violência em Ciudad Juarez começou a se agravar no início de 2008, quando Guzmán, o homem mais procurado do México, enviou assassinos à cidade para tentar ocupar o espaço do poderoso cartel de Juarez.

Bowden argumenta que o crime e os assassinatos hoje constituem quase as únicas maneiras de sobreviver em uma cidade deserta, onde metade dos adolescentes está desempregada ou não tem condições econômicas de estudar.   Continuação...