Jolie acende patriotismo russo na premiere de "Salt" em Moscou

segunda-feira, 26 de julho de 2010 13:16 BRT
 

Por Amie Ferris-Rotman

MOSCOU (Reuters) - Angelina Jolie acendeu a nostalgia da era soviética e o patriotismo russo na premiere em Moscou de seu thriller de espionagem "Salt".

Trajando um longo de Versace cuja cor descreveu como sendo "vermelho russo", a atriz mandou beijos a milhares de fãs que foram vê-la representar uma suspeita agente dupla russa no filme, que estreou como número dois nos Estados Unidos, com bilheteria de 36,5 milhões de dólares.

"Acho que este filme é positivo para a Rússia moderna", disse a sorridente Jolie à Reuters Television em sua primeira premiere em Moscou. Antes disso, ela tinha levado quatro de seus seis filhos para conhecer as cúpulas douradas e os muros vermelhos do Kremlin.

"Por mais que este filme tenha vilões russos, também tem heróis russos", disse ela, com seus brincos de diamantes brilhando ao sol do verão moscovita, marcado por uma onda recorde de calor.

O filme, que evoca as desconfianças típicas da Guerra Fria, teve sorte com o timing de sua estreia, que ocorreu logo depois de dez espiões russos detidos nos Estados Unidos terem sido trocados por quatro russos encarcerados por suspeita de trabalharem para o Ocidente.

Jolie descreveu a coincidência como "bizarra", mas se negou a comentar os rumores veiculados pela imprensa de que teria convidado a glamurosa espiã ruiva Anna Chapman para a premiere do domingo.

As resenhas de "Salt" têm sido desiguais nos Estados Unidos, mas comentaristas dizem que a distribuidora Columbia Pictures aposta nas chances de o filme encontrar eco junto ao público russo.

Na noite de domingo, o público explodiu em aplausos quando a personagem de Angelina Jolie, a analista da CIA Evelyn Salt, revelou sua identidade russa na telona.   Continuação...

 
<p>Angelina Jolie antes da estreia do filme "Salt" na R&uacute;ssia. A atriz acendeu a nostalgia da era sovi&eacute;tica e o patriotismo russo na premiere em Moscou de seu thriller de espionagem. 25/07/2010 REUTERS/Sergei Karpukhin</p>