Sarandon pede lei que proteja vítimas de prostituição infantil

sexta-feira, 30 de julho de 2010 18:17 BRT
 

Por Michelle Nichols

NOVA YORK (Reuters Life!) - A atriz vencedora do Oscar Susan Sarandon lançou uma campanha nesta sexta-feira que pede ao governo norte-americano que proteja, ao invés de processar, menores de idade vítimas de prostituição infantil.

Ela deseja que os norte-americanos assinem uma petição solicitando aos parlamentares que parem de considerar as menores vítimas de tráfico sexual como prostitutas.

De acordo com a campanha "Stop Sex Trafficking of Children and Young People" (Acabe com o Tráfico Sexual de Crianças e Jovens), apenas os Estados de Nova York, Connecticut e Washington têm leis para proteger as vítimas do tráfico sexual.

"Isso pode mudar", disse Sarandon. "É muito importante que o público seja educado."

A petição faz parte de uma campanha maior de um grupo de entidades que lutam contra a prostituição infantil.

"Temos muitas mentes a mudar, temos muito trabalho a fazer aqui nos Estados Unidos para garantir que essas crianças recebam assistência e proteção -- não uma cela quando algumas são recrutadas aos 12 anos", disse Carol Smolenski, diretora-executiva do escritório norte-americano de uma das entidades.

De acordo com dados do Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef), 1,2 milhão de crianças são vítimas da prostituição infantil todos os anos.

Sarandon envolveu-se na luta contra a prostituição infantil após conhecer a ex-escrava sexual do Camboja, Mam, na cerimônia de abertura dos Jogos Olímpicos de Inverno de Turim, na Itália, em 2006. A atriz depois ajudou Mam a levar sua fundação para os Estados Unidos.

 
<p>"&Eacute; muito importante que o p&uacute;blico seja educado", disse a atriz Susan Sarandon. 14/04/2010 REUTERS/Lucas Jackson</p>