Lindsay Lohan sai da cadeia e vai para clínica

segunda-feira, 2 de agosto de 2010 09:53 BRT
 

Por Lisa Baertlein

LOS ANGELES (Reuters) - A atriz Lindsay Lohan deixou a prisão na madrugada de segunda-feira, após cumprir 13 dos seus 90 dias de pena, e foi levada diretamente para uma clínica de reabilitação, segundo o Departamento do Xerife do Condado de Los Angeles.

Lohan de 24 anos, cuja promissora carreira vem sendo prejudicada pela vida desregrada dela nos últimos dois anos, foi mandada para a prisão no mês passado, depois de violar os termos da liberdade condicional imposta em 2007 por dirigir alcoolizada. Ela deveria ter frequentado sessões de orientação sobre o consumo de álcool, mas faltou a várias delas.

Em 20 de julho, ela se apresentou a uma penitenciária feminina de Los Angeles, onde foi posta em cela isolada - para frustração dos editores de jornais sensacionalistas, que previam que ela seria atacada por gangues de lésbicas.

A sentença dela acabou sendo reduzida por bom comportamento, e ela foi beneficiada por um programa que reduz penas a fim de diminuir a superlotação carcerária em Los Angeles.

O sub-xerife Benjamin Grubb disse que Lohan foi solta à 1h35 (5h35 em Brasília). A atriz conseguiu evitar os dezenas de cinegrafistas e fotógrafos que davam plantão em frente à Unidade Correcional Lynwood.

"Em concordância com a ordem judicial, ela agora está sob a jurisdição de um programa de tratamento", disse Grubb à Reuters.

A sentença determinava que, assim que deixasse a prisão, Lohan passasse 90 dias numa clínica de reabilitação. O site de celebridades TMZ.com disse que a atriz receberá tratamento contra transtorno bipolar e dependência de anfetaminas.

O TMZ e seu rival Radaronline.com disseram que Lohan seria levada para uma clínica do Sistema Hospitalar da Universidade da Califórnia em Los Angeles (UCLA), na zona oeste da cidade.   Continuação...

 
<p>Lindsay Lohan no tribunal de Beverly Hills ao receber senten&ccedil;a dos 90 dias na cadeia. Ela saiu depois de 13 dias para ser internada em uma cl&iacute;nica de reabilita&ccedil;&atilde;o. 20/07/2010 REUTERS/Al Seib/Arquivo</p>