Rapper Wyclef Jean será candidato a presidente do Haiti

quarta-feira, 4 de agosto de 2010 08:56 BRT
 

WASHINGTON (Reuters) - O cantor Wyclef Jean vai anunciar nesta semana sua candidatura à Presidência do Haiti, disse a revista Time na terça-feira.

O país caribenho, devastado em 12 de janeiro por um terremoto de magnitude 7, escolherá em 28 de novembro o sucessor do presidente René Préval, cujo mandato termina em fevereiro.

Jean, 37 anos, nasceu no Haiti e está radicado nos EUA desde os nove anos de idade. Como não abriu mão da cidadania haitiana, poderá disputar o cargo.

"Se eu não posso reservar cinco anos para servir ao meu país como presidente, então tudo sobre o que tenho cantado, como direitos iguais, não significa nada", afirmou o músico à Time.

Na semana passada, ele já havia anunciado que iria a Porto Príncipe recolher impressões digitais na polícia judiciária, um pré-requisito para a candidatura. Mas, na quinta-feira passada, ele declarou que ainda não havia tomado uma decisão definitiva.

Muitos analistas acham que Jean --que é muito popular no Haiti, especialmente entre os jovens-- tem grandes chances de vencer a eleição.

Três vezes ganhador do Grammy, Jean foi um dos fundadores da banda de hip-hop The Fugees, e também se notabilizou pela colaboração com a colombiana Shakira. Há dois anos, lançou uma música chamada "If I Was President" ("Se eu fosse presidente").

Em 2005, o músico criou a Fundação Yéle Haiti, para oferecer ajuda humanitária à população. Após o terremoto de janeiro, que matou até 300 mil pessoas, ele declarou que o futuro do país, o mais pobre das Américas, depende da educação, da criação de empregos e de investimentos.

"Se não fosse o terremoto, eu provavelmente teria esperado mais dez anos para fazer isso", afirmou Jean à Time. "O terremoto me mostrou que o Haiti não pode esperar mais dez anos para que o tragamos para o século 21."

 
<p>Wyclef Jean e sua esposa Marie Claudinette Jean na NAACP Image Awards em Los Angeles, em fevereiro. O cantor vai anunciar nesta semana sua candidatura &agrave; Presid&ecirc;ncia do Haiti, segundo a revista Time, 26/02/2010 REUTERS/Danny Moloshok</p>