Bono volta à ativa após cirurgia; turnê do U2 deve bater recorde

sexta-feira, 6 de agosto de 2010 20:27 BRT
 

Por Ian Simpson

TURIM, Itália (Reuters) - O vocalista Bono, do U2, voltou à ativa na sexta-feira, após quase dois meses afastado dos palcos por causa de uma lesão nas costas, e a banda irlandesa retomou uma turnê que, segundo seu empresário, será a mais lucrativa da história.

Diante de um lotado Estádio Olímpico de Turim, Bono correu, trotou e dançou, sem parecer um homem de 50 anos dez semanas depois de se submeter a uma cirurgia na coluna. Ele diz que chegou a fazer quatro horas de fisioterapia por dia.

"Eu realmente não sei ficar quieto, esse é o problema. A certa altura é preciso deixar que as músicas cantem por você", disse Bono à Reuters logo antes da retomada da sua etapa da turnê 360 Degree Tour, assim chamada porque a plateia cerca o enorme palco circular.

Bono abriu o show com "Beautiful Day" e "Magnificent". A banda também tocou duas novas faixas, chamadas "North Star Acoustic" e "Glastonbury".

O vocalista agradeceu a plateia pelas cartas e emails estimulando sua recuperação. "Esta banda é como uma família. É um negócio familiar, o U2. Eu sou o filho pródigo, eu gostaria de agradecer meus irmãos por sua paciência", disse Bono, vestindo roupas de couro.

Ele foi operado em maio, depois de se machucar sozinho. Por causa da reabilitação dele, a etapa norte-americana da turnê foi adiada para 2011. A 360 Degree Tour começou em 2009 em Barcelona.

O empresário da banda, Paul McGuinness, disse que até o final do ano a turnê se tornará "a de maior faturamento por qualquer um (artista) em qualquer momento".

"Ainda temos20 a 30 shows no ano que vem", acrescentou ele, estimando um faturamento final de 650 a 700 milhões de dólares.   Continuação...

 
<p>Bono canta em Turim. O vocalista Bono, do U2, voltou &agrave; ativa na sexta-feira, ap&oacute;s quase dois meses afastado dos palcos por causa de uma les&atilde;o nas costas, e a banda irlandesa retomou uma turn&ecirc; que, segundo seu empres&aacute;rio, ser&aacute; a mais lucrativa da hist&oacute;ria.06/08/2010.REUTERS/Stefano Rellandini</p>