Campbell disse ter ganho "diamante enorme" de Taylor, diz Farrow

segunda-feira, 9 de agosto de 2010 15:56 BRT
 

Por Aaron Gray-Block

HAIA (Reuters) - A atriz Mia Farrow declarou nesta segunda-feira num tribunal de Haia sobre crimes de guerra que ouviu Naomi Campbell contar ter recebido um "diamante enorme" do ex-presidente da Libéria Charles Taylor, contradizendo o depoimento da modelo britânica prestado na semana passada.

Campbell depôs diante do Tribunal Especial para Serra Leoa e afirmou ter ganho "pedras que pareciam sujas" depois de um jantar beneficente na África do Sul, em 1997, mas não sabia se eram diamantes vindos de Taylor, então presidente da Libéria, que está sendo julgado em Haia por crimes de guerra e crimes contra a humanidade.

Em seu depoimento nesta segunda-feira, Farrow disse ter visto Campbell se unindo a um grupo de hóspedes num café da manhã no dia seguinte ao jantar, cujo anfitrião era o então presidente sul-africano Nelson Mandela, e que a modelo britânica imediatamente começou a relatar algo que ocorrera durante a noite.

"Ela disse que à noite tinha sido acordada por homens batendo à sua porta que lhe disseram ter sido enviados por Charles Taylor, e que eles lhe haviam dado um diamante enorme", declarou Farrow ao tribunal, acrescentando que Campbell estava "bastante empolgada" em relação a isso.

Farrow disse que Campbell comentou então que pretendia dar o diamante ao Fundo Nelson Mandela para Crianças, acrescentando que "foi uma espécie de momento inesquecível."

Taylor é acusado formalmente por 11 alegações de instigação ao homicídio, estupro, mutilação, escravidão sexual e recrutamento de soldados crianças durante guerras na Libéria e em Serra Leoa, nas quais mais de 250 mil pessoas morreram. Ele nega todas as acusações.

O advogado de defesa Courtenay Griffiths questionou a lembrança de Farrow e ainda a imparcialidade da atriz, por ela ter feito campanha por justiça às vítimas das guerras na África.

FLERTE 'DE LEVE'   Continuação...

 
<p>Imagem de v&iacute;deo mostra a atriz Mia Farrow depondo no julgamento por crimes de guerra e contra a humanidade do ex-presidente da Lib&eacute;ria Charles Taylor, no Tribunal Especial da ONU para Serra Leoa em Leidschendam, 9 de agosto de 2010. REUTERS/Tribunal Especial para Serra Leoa via Reuters TV</p>